Castor

Graduação em Ciências Biológicas (Unicamp, 2012)
Mestrado Profissional em Conservação da Fauna Silvestre (UFSCar e Fundação Parque Zoológico de São Paulo, 2015).

Publicado em 20/06/2019

Castor é o nome do único gênero que restou da família Castoridae, que é composta por apenas duas espécies: Castor canadensis e Castor fiber. A espécie Castor californicus foi extinta no Pleistoceno. Habitam as florestas temperadas da América do Norte, Norte da Europa e da Ásia. São mamíferos com habilidades aquáticas, podendo passar grande parte da sua vida na água.

Características

São grandes roedores que podem pesar até 30 Kg. São semiaquáticos, com patas traseiras palmeadas. Como habitam regiões frias, a água sendo um bom condutor de calor, ajuda a diminuir a perda de calor, em relação a sua superfície corpórea. Seus pelos também contribuem para manter a temperatura do corpo, formando uma pelagem densa que o protege. Suas narinas e ouvidos podem ser fechadas durante o nado, com o auxílio de musculatura específica e seus olhos possuem uma membrana que os protege da água. Além disso, possuem uma calda achatada que auxilia no nado. Estas espécies sofrem grande pressão de caça, pelos caçadores de pele.

Estes animais possuem modificações físicas que lhes conferem o podem de roer ou carregar galhos embaixo d’água, sem se afogar.

São herbívoros, alimentam-se de cascas e folhas. As duas espécies possuem a habilidade de derrubar árvores para se alimentar e também usam os troncos na criação de canais d’água, para conectar áreas, criando diques em rios e lagos. Represam alguns trechos e com lama ainda podem construir câmaras submersas para dar acesso aos seus ninhos na superfície. Vivem em família e montam seu ninho sob a superfície, com galhos e lamas. Podem nadar por quase 1 km e ficam até 5 minutos debaixo da água, sem respirar.

Este animal possui um papel ecológico muito importante, devido ao seus hábitos.

Castor fiber

Castor fiber. Foto: Podolnaya Elena / Shutterstock.com

O castor europeu habita as regiões frias no Norte da Europa e Ásia, principalmente Rússia. Pesam até 35 Kg e podem medir até 135 cm de comprimento. São animais monogâmicos e apenas um par de cada colônia reproduz e tem ajuda dos membros da família na criação de seus filhotes. Dão cria uma vez por ano, de 1 a 6 filhotes, numa gestação de até 128 dias. Seus filhotes se tornam independentes a partir de 1,5 ano e ainda jovens ajudam criar os filhotes da colônia. Dispersam por volta dos 2 anos e permanecem como subadultos em outra colônia até atingirem maturidade sexual, por volta dos 3 anos, quando buscam fundar sua própria colônia. Podem viver de 10 a 17 anos em cativeiro, mas em vida livre raramente ultrapassam os 8 anos de idade.

Foi muito caçado ao longo de séculos, pela sua pele, chegando a ser extinto de alguns lugares. Hoje se encontra ligeiramente ameaçado.

Castor canadensis

Castor canadensis. Foto: Jaime Espinosa / Shutterstock.com

O castor americano é o maior roedor do Hemisfério Norte. São nativos dos Estados Unidos, Canadá e até certa parte do México, mas foram introduzidos artificialmente em outros lugares do globo. Não correm risco de extinção, mas sofrem grande pressão de caça, para o mercado de pele. Podem fazer câmaras de até 2,5 metros de largura e 1m de altura. Esta espécie pode pesar de 13 a 32 Kg e alcançar um comprimento de 117 cm. Possuem duas glândulas, próximas à calda, que são utilizadas para marcação de território, lhes dando um cheiro bem característico. São monogâmicos, alcançando a maturidade sexual por volta dos 3 anos de idade, têm uma cria por ano, numa gestação de até 107 dias. Os filhotes nascem pelados, mas já podem nadar em 24 horas e permanecem com os pais até os 2 anos de idade. A longevidade deste bicho é de 10 a 20 anos em vida livre.

Esta espécie produz diques mais bem desenvolvidos e suas tocas são mais distantes da margem. Possuem cheiro mais forte, deixa maior número de marcação e é mais competitivo.

Diques construídos por castores. Foto: mochilaosabatico / Shutterstock.com

Castor californicus

Esta espécie viveu na América do Norte, onde encontrou-se fósseis entre o Mioceno e Pleistoceno. Também eram semiaquáticos, mas um pouco maior do que as outras espécies.

Referências:

https://animaldiversity.org/accounts/Castoridae/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Castor

https://animaldiversity.org/accounts/Castor_canadensis/

https://animaldiversity.org/accounts/Castor_fiber/

https://www.nobanis.org/globalassets/speciesinfo/c/castor-canadensis/castor_canadensis.pdf

Arquivado em: Mamíferos