Tuba auditiva

Mestre em Ciências Biológicas (Universidade de Aveiro-SP, 2013)
Graduada em Biologia (Universidade Santa Cecília-SP, 2003)

A tuba auditiva, também chamada de tuba de Eustáquio, é uma estrutura que faz a ligação entre a orelha média e a faringe que possui a função principal de regular a pressão do ar da membrana timpânica.

Com a configuração de um tubo orgânico com cerca de 37 mm, o órgão é a parte intermediária da parede, a carotídea, da cavidade timpânica até a rinofaringe. É constituída por:

  • Semicanal da tuba auditiva: uma parede óssea com 12 mm de comprimento, relacionada com o canal carotídeo. Há um septo que faz a separação do lúmen do músculo tensor do tímpano.
  • Cartilagínea: parede cartilaginosa com 24 mm de comprimento, aderida na base da espinha angular e que se projeta na mucosa espessa da parede da rinofaringe.

A união das partes óssea e cartilagínea forma o istmo da tuba auditiva, em um ponto onde o lúmen faz uma contração no sentido da extremidade ântero-meidal da tuba óssea. É nesse local, análogo a uma válvula, que há o controle da entrada de ar.

A tuba auditiva encontra-se fechada e é aberta quando pela ação do músculo tensor veli palatini e o músculo levator veli palatini que estão presos à parede externa da tuba. Ocorre o acionamento da válvula durante a deglutição e o bocejo, o que faz o ar passar da região nasofaringe para a orelha média. Essa ação permite uma equalização da pressão do ar procedente do meio externo com a pressão que há na cavidade timpânica e, e além disso, possibilita um arejamento na região da orelha média. Com isso, há proteção na orelha contra as alterações bruscas de pressão.

Anatomia da orelha (anteriormente chamado de Ouvido). Ilustração: SVETLANA VERBINSKAYA / Shutterstock.com

Funções da tuba auditiva

  • Excreção – retira o acúmulo de secreções presentes na orelha média para a região nasal da faringe, através do músculo tensor veli palatini, funcionando como uma barreira contra partículas potencialmente agressivas.
  • Proteção – juntamente com a orelha média, a tuba auditiva apresenta células ciliadas e secretoras que fazem parte do sistema de transporte mucociliar (responsável pela produção de muco que serve de proteção contra agentes patógenos).
  • Ventilação – regulação do equilíbrio da pressão entre o meio interno e o ambiente externo.

A diferença de pressão interna com a pressão atmosférica, como por exemplo as mudanças de altitude, causa desconforto no indivíduo. Para igualar essa diferença de pressão, uma leve tossida pode resolver, pois essa ação faz com que uma certa quantidade de ar possa entrar ou sair da orelha média através da tuba auditiva, o que faz igualar a pressão interna com a pressão do ambiente externo.

Algumas situações podem interferir na função de drenagem da tuba auditiva: infecção das vias respiratórias superiores por um agente viral, alergia e influenza. Em consequência, há a otite média com efusão, quando a abertura da válvula deixa de acontecer nos momentos necessários. Há os casos em que há abertura, mas não há proteção contra as bactérias da nasofaringe que provocam infecção, é a chamada otite média aguda.

Referências:

BENTO, R. F. Anatomia do osso temporal. Tratado De Otologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, p. 17-21, 1998.

DOYLE, W. Alguns Pensamentos Sobre a Tuba Auditiva. Disponível em: <http://www.iapo.org.br/manuals/37-1.pdf>. Acesso em: 19/06/2018.

RUI, L. R.; STEFFANI, M. H. Um recurso didático para ensino de física, biologia e música. Encontro Estadual de Ensino de Física.(1.: 2005 nov. 24-26: Porto Alegre, RS). Atas. Porto Alegre: Instituto de Física-UFRGS, 2006.

RUMY MAKIBARA, R.; YUMI FUKUNAGA, J.; GIL, D. Função da tuba auditiva em adultos com membrana timpânica íntegra. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, v. 76, n. 3, 2010.

Arquivado em: Audição