Marquês de Pombal

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Marquês de Pombal foi um nobre, político e diplomata português. Atuou como embaixador nas cortes inglesa e austríaca, foi Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Ministro do Reino. Pertenceu ao governo português entre 1750 e 1777, combinando em sua gestão a monarquia absolutista com o racionalismo iluminista.

Monumento a Marquês de Pombal (Lisboa, Portugal). Foto: inavanhateren / Shutterstock.com

Sebastião José de Carvalho e Mello nasceu no dia 13 de maio de 1699, em Lisboa, Portugal. Era filho de Manuel de Carvalho e Ataíde e Teresa Luísa de Mendonça e Mello, casal de fidalgos. Cursou Direito por um ano na Universidade de Coimbra, mas desistiu. Serviu o exército como cadete durante um curto período e não seguiu carreira militar. Em 1723 casou-se com Teresa de Noronha e Bourbon Mendonça e Almada, importante dama aristocrata.

No dia 2 de outubro de 1738 foi nomeado embaixador de Portugal na corte de Londres, para participar de uma aliança luso-britânica. Sua esposa faleceu nesse mesmo ano.

Em 1743, retornou para Lisboa e no ano seguinte foi nomeado embaixador de Portugal na corte de Viena, na Áustria. Chegou a Viena em 1745 e casou-se com Maria Leonor Ernestina de Daun, a condessa de Daun, dama de ilustre família austríaca com quem teve sete filhos.

Em agosto de 1750, Pombal foi nomeado Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, um dos três ministérios que concentravam as decisões do reino.
A partir de 1753, fundou várias companhias de comércio inspiradas no modelo inglês. Controlou as atividades econômicas, monopolizou os negócios e aumentou a arrecadação dos impostos sobre o garimpo.

Em novembro de 1755 um grave terremoto atingiu Lisboa, com a amplitude estimada em cerca de nove pontos na atual escala Richter. A cidade ficou com mais de dois terços inabitáveis. Na ocasião, o Rei D. José I concedeu plenos poderes ao seu ministro. Em 1756, Pombal ocupou a Secretaria de Estado dos Negócios Interiores do Reino (cargo homólogo a primeiro-ministro) e organizou o plano de reconstrução urbanística da cidade. Foi autor de leis que proibiram escravizar índios e acabou com a discriminação dos cristãos novos (judeus convertidos ao catolicismo nos tempos da Inquisição). Contribuiu também para a educação do país, tentando atualizar Portugal em relação ao restante da Europa. Reformou a Universidade de Coimbra, o Exército e a Marinha. Também reorganizou as finanças do Estado, criou a Imprensa Real e a Escola de Comércio. Ficou conhecido por governar com mão de ferro, fazendo a lei ser aplicada para todas as classes sociais, sem diferença entre os pobres e os nobres.

Em 1759 quando foi nomeado conde de Oeiras, Pombal já estava ativamente à frente do governo, com muitos de seus projetos concluídos ou em fase de implantação. Seguindo o exemplo da Espanha e da França, nesse ano Pombal expulsou a Companhia de Jesus de Portugal dos seus territórios com o consentimento do papa Clemente XIV. Em 1769 recebeu o Título de Marquês de Pombal. Em 1777, com a morte do rei D. José I, Pombal perdeu rapidamente seu poder político. Nobres e os representantes do clero já não gostavam de sua influência e de suas reformas, pois elas reduziram significativamente os privilégios e poderes dos mais abastados. Dona Maria I e seu marido Dom Pedro III assumiram o trono nutrindo forte antipatia pelo Marquês. Rapidamente eliminaram a sua participação na corte, no dia 4 de março de 1777 Pombal foi demitido por decreto-régio. Sem opções, foi forçado a abandonar a capital, seguindo para sua propriedade em Oeiras.

Em 1779 foi apresentada uma ação judicial com acusações de abuso de poder, corrupção e fraude contra o Marquês.

Em 1781 Marquês de Pombal foi totalmente afastado de Lisboa após sua condenação, ficando exilado em seu palácio, onde faleceu no dia 8 de maio de 1782.

Foi inaugurada em Lisboa no dia 13 de maio de 1934 a “Praça do Marquês de Pombal”, tornando-se uma das mais importantes da cidade. No local está erguida uma estátua em homenagem ao político.

Atualmente, Marquês de Pombal é o nome da estação mais movimentada do metrô de Lisboa.

Leia também:

Arquivado em: Biografias