Papa Silvestre I

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Silvestre I foi o 33º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Roma no ano 285, Silvestre viveu a época da recente conversão do Império Romano ao cristianismo. Homem de fé e atuante no catolicismo, foi o sucessor do Papa Melquíades que faleceu no início do ano 314. No dia 31 de janeiro do mesmo ano, Silvestre foi eleito.

O Papa Silvestre I exerceu um dos mais longos pontificados da história da Igreja Católica. Ele foi Sumo Pontífice por 21 anos. Assumiu o posto com apenas 29 anos, o que lhe garantiu longevidade. Seu pontificado longo interagiu muito bem com o momento vivido pelo cristianismo primitivo, alcançando várias conquistas para a Igreja Católica que permitiram a esta uma expansão significativa. O pontificado do Papa Silvestre I ocorreu ao mesmo tempo em que Constantino I era o imperador de Roma. A relação entre os dois foi sadia, o que permitiu benefícios mútuos. Constantino I convocou um sínodo e um concílio, nos quais o papa enviou emissários para presidir os encontros. O imperador romano apresentava um quadro de saúde bastante debilitado, e o papa foi simpático aos seus interesses.

O bom relacionamento entre o Papa Silvestre I e o imperador Constantino I estabeleceu a autoridade da Igreja Católica no mundo Antigo e Medieval e deu início aos primeiros monumentos cristãos, como o Santo Sepulcro em Jerusalém e as primitivas basílicas de São João de Latrão e São Pedro. Esse bom relacionamento entre os dois líderes muito se deu em função da conversão de Constantino I ao cristianismo. Sua conversão é atribuída a uma visão que o imperador teve durante uma batalha em Milvius. Porém há uma lenda medieval que diz que o papa curou a lepra do imperador ao batizá-lo com a imersão em uma piscina, o que não possui nenhum fundamento e a falsidade dessa lenda é comprovada pelo real batismo de Constantino I no final de sua vida. Mas, seja como for, o fato é que até o reinado deste imperador os cristãos eram perseguidos rotineiramente no Império Romano. A divergência de religião entre cristianismo e paganismo resultou em vários conflitos e massacres que contabilizaram perdas maiores para os cristãos. A conversão de Constantino I inaugurou uma nova fase na história da Igreja Católica, pois abriria caminho para que a crença se tornasse a oficial do império, se firmasse, conquistasse adeptos em grande quantidade, assim como poder político. Para a Igreja, é o início de um estado de paz.

Não há dúvida de que a maior conquista do papado de Silvestre tenha sido a valorosa e harmônica relação com Constantino I. Isso garantiu também que o papa pudesse exercer seu pontificado com tranquilidade, sem perseguição, exílio ou assassinato, como muito de seus antecessores. Por ser um papa novo, foi capaz de exercer um longo pontificado. Porém faleceu relativamente novo também, aos 50 anos de idade. Silvestre I foi o primeiro papa canonizado sem ter sofrido martírio, é celebrado como São Silvestre I.

Falecido em 31 de dezembro de 335, Silvestre I foi sucedido pelo Papa Marcos.

Fontes:

FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.

DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.

Arquivado em: Biografias