Papa Zósimo

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Zósimo foi o 41º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Masuraca, na Grécia, no ano 370, Zósimo era filho de Abrão e acredita-se que sua família era de origem judaica. Viveu uma época de acomodação para a Igreja Católica, pois a religião já havia sido declarada a oficial no Império Romano e, então, conquistava mais poder e influência na sociedade. Ainda assim, opositores e perseguidores continuavam existindo e, eventualmente, causando grandes perturbações. Zósimo seria o sucessor do longo pontificado do Papa Inocêncio I.

O Papa Zósimo assumiu a liderança da Igreja Católica no dia 18 de março de 417, quando possuía 47 anos de idade. Seu pontificado foi breve, porém muito atormentado. Durante pouco mais de um ano como papa, Zósimo estabeleceu regras rígidas para o catolicismo romano. O papa proibiu que filhos ilegítimos fossem ordenados e reivindicou o poder da Igreja contra interferências alheias. O curto pontificado de Zósimo teve muito trabalho enfrentando o pelagianismo, um comportamento considerado herético na época por disseminar a ideia de que as pessoas podiam se salvar sem as graças de Deus.

Com o intuito de unir a Igreja, o Papa Zósimo criou vicariatos no Ocidente, mas não obteve muito sucesso em função da incompetência dos bispos indicados. O Sumo Pontífice publicou uma epístola decretando a superioridade da Sede Apostólica e condenando os que apelavam ao poder civil. Por fim, declarou que somente os bispos e o próprio papa tinham autoridade para deliberações sobre assuntos eclesiásticos.

O Papa Zósimo faleceu em Roma no dia 26 de dezembro de 418, aos 48 anos de idade. Fui um breve pontificado que durou pouco mais de um ano, embora muito turbulento. Seu sucessor foi o Papa Bonifácio I. Porém Zósimo deixou uma situação instável com sua morte. Havia uma parte do clero que estava insatisfeita e que decidiu eleger um antipapa de nome Eulálio para se opor ao papa legítimo. A existência de dois líderes criou dois grupos de oposição que entraram em conflito. Bonifácio I chegou a ser expulso de Roma, mas o comportamento do antipapa acabou desagradando o Imperador Romano Honório, que interferiu diretamente na resolução do cisma dando ordem e condição para que o Papa Bonifácio I assumisse seu posto legítimo. Todavia, a situação abriu precedente para um longo período de ingerência civil na escolha do papa.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.

Arquivado em: Biografias