Peter Singer

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Peter Albert David Singer é um prestigiado filósofo, professor e humanista australiano. Considerado um grande defensor dos direitos dos animais, alcançou destaque popularizando a bioética – área interdisciplinar que estuda problemas e implicações morais resultantes de pesquisas científicas em biologia e medicina.

Peter Singer nasceu dia 6 de julho de 1946 em Melbourne, na Austrália. Seus pais eram judeus imigrantes que chegaram ao país após a Alemanha nazista unir a Áustria a seus territórios. Seu pai era comerciante e sua mãe médica. Seu avô materno foi amigo próximo de Sigmund Freud e escreveu em sua parceria o livro “Dreams in Folklore”.

Singer graduou-se em Filosofia pela Universidade de Melbourne, fazendo bacharelado em 1967 e mestrado em 1969. Nessa época iniciou seu ativismo nos movimentos contra a guerra do Vietnã e na reforma da lei australiana sobre o aborto. Em 1968 casou-se com Renata, sua colega das aulas de História. Em 1971 fez pós-graduação e lecionou Ética em Oxford, na Inglaterra, permanecendo na função por dois anos.

Também foi professor visitante na Universidade de Nova York, nos Estados Unidos por 16 meses. Nessa época escreveu o rascunho de sua obra mais famosa, “Libertação Animal”, publicada em 1975. O livro se tornaria o mais importante de sua carreira, impactando o mundo e provocando uma revolução nas empresas de cosméticos e alimentos. As etapas de produção e testes vieram ao conhecimento do público, revelando que os procedimentos necessários para a liberação de alguns produtos causavam sofrimento para os animais envolvidos.

A comoção fez com que o governo se reposicionasse junto aos órgãos controladores de qualidade e que as próprias indústrias buscassem alternativas.

A polêmica sobre o uso e possível abuso de animais não iniciou com Peter Singer, mas através de sua obra o assunto teve o seu mais influente intercessor.

Em 1977 atuou como professor de filosofia na Universidade de Monash, em Melbourne, e lá se associou ao Centro para a Bioética Humana, onde dedicou-se a estudar as consequências morais das descobertas biomédicas até o ano de 1992.

Em 1979 veio sua grande contribuição para a Ética e para a Bioética com o lançamento de “Ética Prática”. Conhecido como seu trabalho mais abrangente, Peter Singer vai além da questão dos animais colocando em foco temáticas polêmicas que discutem aborto, infanticídio, eutanásia, desigualdade social e direito civil.

No seu livro “Repensando a Vida e a Morte” de 1996, Singer propõe uma atualização para os mandamentos que tradicionalmente regem a organização da vida em sociedade. No mesmo ano ele candidatou-se a senador pelo partido Verde na Austrália atingindo a maior votação do partido até a ocasião, porém não conseguiu ser eleito.

A partir dos anos 2000, Peter Singer abraçou a causa das mudanças climáticas. Ele tem sido um crítico obstinado ao modelo de utilização de combustíveis fósseis que geram uma quantidade de gás carbônico prejudicial à atmosfera.

Em 2009 lançou o livro “A Vida Que Podemos Salvar” e criou uma organização não governamental de auxílio aos necessitados. Singer é doador regular de um percentual significativo de seus rendimentos para causas humanitárias. A coerência entre o pensar e o agir é uma de suas características mais admiradas.

Peter Singer é um exemplo de intelectual engajado, tendo sua produção acadêmica associada a um concreto ativismo social. Em sua trajetória essa postura lhe rendeu inúmeros reconhecimentos: foi citado como uma das pessoas mais influentes do mundo pela revista Time, como o filósofo vivo de maior repercussão pela revista New Yorker e como o Humanista Australiano do Ano em 2004. Também recebeu a importante honraria do governo australiano “Companion of the Order of Australia”, em 2012.

Em contrapartida, o seu posicionamento lhe trouxe algumas represálias: vaias em palestras, eventos cancelados por oposição à sua presença, críticas públicas e retirada de apoio financeiro à Universidade de Princeton.

Atualmente, Peter Singer participa de palestras e leciona no Centro para os Valores Humanos da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos.

Arquivado em: Biografias, Filósofos