Importância ecológica das aves

Graduação em Ciências Biológicas (UNIFESP, 2014)

Com a crescente preocupação mundial a cerca da manutenção e recuperação do equilíbrio ambiental, é imprescindível o conhecimento do papel de cada grupo nos ecossistemas. O grupo das aves é um dos mais estudados para fins de preservação ambiental, graças às suas várias adaptações e características únicas, como os hábitos alimentares. As aves podem ser frugívoras, granívoras (grãos e sementes), insetívoras, nectarívoras, carnívoras, piscívoras (peixes), necrófagas ou onívoras, sendo assim animais muito importantes para a manutenção do equilíbrio ecológico, já que atuam como dispersoras de sementes, agentes polinizadores, reguladoras de populações de suas presas e ainda como bioindicadores de conservação, pois são bem conhecidas e sensíveis a alterações de seus habitats.

Aves. Foto: Thosapon.s / Shutterstock.com

Uma grande parcela das árvores de todo o mundo, principalmente nas florestas tropicais, produzem frutos coloridos, suculentos e cheirosos, ou seja, totalmente adaptados para atrair aves e mamíferos que consumem os frutos e dispersam as sementes. Essa forma de reprodução, essencial na evolução dessas árvores, proporciona o distanciamento das sementes da planta-mãe, o que minimiza a predação por animais granívoros e confere uma maior variabilidade genética.

As aves também são muito utilizadas na regeneração de áreas degradadas. Como possuem a capacidade de voar, se deslocam rapidamente e percorrem grandes distâncias. Tais características fazem com que esses animais possam depositar as sementes das espécies de árvores nativas em áreas antrópicas, contribuindo com o processo de recomposição vegetal. As aves são protagonistas em estudos de recuperação de áreas degradadas como pastagens, áreas de mineração e de barragens, áreas de desmatamento e de reflorestamento com eucalipto.

As aves carnívoras, como as aves de rapina, também exercem papéis fundamentais dentro dos ecossistemas em que estão inseridas. Estes animais controlam a população de suas presas (pequenos animais) e ajudam a manter estável o equilíbrio das teias tróficas e, consequentemente, da região que habitam. Sua ausência poderia acarretar uma superpopulação de presas, afetando a estrutura da comunidade e podendo afetar até mesmo as riquezas e abundâncias das espécies vegetais.

Gavião-carijó (Rupornis magnirostris) - Exemplo de ave de rapina. Foto: Andrew M. Allport / Shutterstock.com

Bibliografia:

Ladislau Freitas Varão & Jullys Alan Guimarães Gama- Estudo das Aves Urbanas no Processo Ambiental de Imperatriz (Ma)- Revista UNI, n.2 , p.57-66- 2012

Evandro Luiz Mendonça Machado, Anne Priscila Dias Gonzaga, Renato Luiz Grisi Macedo, Nelson Venturin & Jozébio Esteves Gomes- Importância da Avifauna em Programas de Recuperação de Áreas Degradadas- PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE AGRONOMIA E ENGENHARIA FLORESTAL DE GARÇA /FAEF, NÚMERO , 07- 2006

Marcos A. G. Azevedo, Denize A. Machado, & Jorge L. B. Albuquerque- Aves de Rapina na Ilha de Santa Catarina, SC: Composição, Frequência de Ocorrência, Uso de Habitat e Conservação- Ararajuba 11 (1): 75-81

Arquivado em: Aves, Ecologia