Deserto da Líbia

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

O Deserto da Líbia localizado no sudoeste do Egito, leste de seu país homônimo e noroeste do Sudão, tem extensão territorial de 1.100.000 quilômetros quadrados. Seu ambiente em grande parte é formado por bancos de areias e rochas planas.

Localização do Deserto da Líbia na África. Mapa: Eric Gaba / via Wikimedia Commons / CC-BY-SA 3.0 [adaptado]

Ocupação do Deserto da Líbia

Nos tempos antigos, grande parte da população que vivia próxima aos desertos, habitava os oásis para desenvolver suas atividades agrícolas. Estima-se que nos tempos medievais, o Deserto da Líbia era um dos caminhos alternativos de muitos senhores feudais e escravos para chegarem aos mercados existentes no Oriente Médio.

Relatos históricos apontam que nessas caravanas muitos escravos e animais de carga morriam por conta do ambiente árido do Deserto, que ao longo do tempo, se constituiu mais como uma região de passagem do que um local para ocupação humana, devida às condições inóspitas em seu interior.

Além das densas regiões polares, o Deserto também é considerado um “lugar branco” ou inexplorado, esse vazio se justifica por dois fatores:

  • Grande parte do Deserto da Líbia praticamente inexiste água, exceto nos poucos oásis existentes em seu interior.
  • O Mar de Areia existente é impenetrável;

Ambiente característico do Deserto da Líbia. Foto: Denis Burdin / Shutterstock.com

A fauna e a flora do Deserto da Líbia

A característica árida do Deserto, influencia em sua fauna, onde há a presença de serpentes terrestres, escorpiões, camelos, aracnídeos, lagartos, entre outros. Geralmente, são espécies que tem uma estrutura corporal adaptada para o clima quente e seco presente nesse ambiente.

O Deserto da Líbia devido ao seu clima quente e seco impossibilita o desenvolvimento de árvores de grande porte. Em seu interior, é muito comum notar a presença de arbustos e uma vegetação bem rasteira e ressecada. Entretanto, em regiões próximas aos oásis, percebe-se a ocorrência de espécies arbustivas mais verdes e algumas plantas desenvolvidas, devida à umidade presente nessas regiões.

Deserto da Líbia e seus oásis

Ao longo de sua extensão territorial, o Deserto da Líbia tem algumas depressões – regiões mais rebaixadas por conta do desgaste sofrido pelo vento – que possibilita a formação de alguns oásis.

Nesses oásis há a presença de água doce, devido à influência do Rio Nilo que possibilita a ocupação permanente de alguns assentamentos nesse ambiente desértico. Outra importância é que muitas expedições ou turistas que percorrem a região do Deserto param nesses locais para se hidratarem ou se refrescarem perante o calor excessivo.

Na colonização do continente africano, muitos europeus tinham a tática de invadir e ocupar os oásis para dominar os povos residentes e implantar modernas técnicas de irrigação para plantar suas lavouras de exploração.

Oásis "Umm El-Ma", localizado no deserto da Líbia. Foto: PatrickPoendl / iStock.com

O Clima do Deserto da Líbia

O Deserto da Líbia é um dos lugares mais áridos e escaldantes do Planeta Terra. Em algumas regiões, não precipita por décadas e até mesmo nas planícies raramente há a ocorrência de chuvas. Na cidade de Ueinate, localizado na tríplice fronteira entre Líbia, Egito e Sudão, a última chuva ocorreu em 1998.

O tipo climático do Deserto é o árido que é caracterizado por apresentar altas temperaturas e um baixíssimo índice pluviométrico. As temperaturas em seu interior facilmente chegam a 50°C, que é justificada pela grande quantidade de luz solar que incide na região.

Outra característica é a alta amplitude térmica existente, onde durante o dia predominam temperaturas muito elevadas e durante a noite há uma queda térmica brusca, podendo chegar a abaixo de zero graus Celsius.

O potencial energético do Deserto de Líbia

Conforme dito anteriormente, o Deserto da Líbia e seu entorno, incluindo o Deserto do Saara possuem um grande potencial enérgico, devida à grande quantidade de raios solares que incidem sobre o interior dessas regiões áridas. Pesquisadores apontam que cobrir menos de 1% dos desertos do mundo com usinas de energia solar concentradas poderia produzir 100% da eletricidade usada em todo o mundo.

Projetos de implantação de painéis solares ao longo desses desertos estão sendo estudados e em breve podem ser realizados. Muitos países europeus e o Japão têm desenvolvido pesquisas e estudos para concretizar essa intenção e produzir 50% da energia mundial nos desertos africanos.

Referências:

http://www.fjexpeditions.com/frameset/florafauna.htm

https://web.archive.org/web/20110923175457/http://www.nationalgeographic.com/adventure/0504/excerpt1.html

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-e-um-oasis/

https://veja.abril.com.br/ciencia/cientistas-contam-com-saara-para-50-da-energia-mundial/

Arquivado em: África, Biomas