Grande Incêndio de Roma

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

O Grande Incêndio de Roma começou ao redor do Circo Máximo e rapidamente se alastrou pelas áreas mais povoadas da cidade. O caso do incêndio em Roma é muito popular, mas ainda não completamente solucionado. Há várias hipóteses sobre como começou e por qual motivo. A ideia científica mais difundida baseia-se no fato de que os moradores construíam suas habitações todas em madeira e usavam o fogo para poderem se aquecer e se alimentar, por algum descuido o fogo se alastrou e os ventos fortes ajudaram a espalhar o incêndio.

Já a ideia mais propagada no conhecimento popular diz que Nero teria colocado fogo em Roma com a intenção de reconstruir a cidade e torna-la mais poderosa por meio de uma nova e mais majestosa arquitetura. Entretanto essa versão já foi desmentida pelos historiadores. Hoje, sabe-se que Nero nem estava em Roma na ocasião e, quando soube o que acontecia, regressou rapidamente para prestar auxílio aos desabrigados. Nero recebeu os afetados nos jardins de seu palácio. O que o colocou numa situação suspeita foi o fato de ter comprado as terras atingidas por preços muito baixos.

Como os cristãos são indicados também como um dos possíveis causadores do incêndio, é possível que Nero tenha atribuído a eles a culpa com o fim de desviar as acusações que eram feitas contra ele. Na ocasião, ano 64, o cristianismo era visto como uma superstição maléfica e fazia sentido incriminá-los, já que era fácil e a cultura popular ainda os rejeitavam.

O certo é que o incêndio começou no centro comercial de Roma, que ficava em volta do Circo Máximo, na noite do dia 18 de julho de 64. Rapidamente o fogo tomou conta das ruelas, espalhando-se pelas construções romanas baseadas em madeira e que facilitavam o alastramento. Foram seis dias de incêndio para conseguir começar a controlar o fogo, mas o reacendimento em alguns focos fez com que durasse por mais três dias ainda. O prejuízo, obviamente, foi enorme. Nada menos que dois terços da cidade ficou destruído, o que inclui lugares importantíssimos para a civilização romana e para a história da humanidade como o Templo de Júpiter Stator e o Lar das Virgens Vestais.

Fontes:
SUETÔNIO, Gaio. A vida dos doze césares. São Paulo. Ediouro, 1966
http://historiaesuascuriosidades.blogspot.com/2011/06/1-os-bastidores-do-grande-incendio-de.html

Arquivado em: Civilização Romana