Trajano

Graduada em História (Udesc, 2010)
Mestre em História (Udesc, 2013)
Doutora em História (USP, 2018)

Trajano foi um imperador romano que governou entre os anos de 98 a 117. Ele fazia parte da dinastia nerva-antonina, que, ao contrário das demais, não estava baseada em relações de parentesco e seus membros não estavam ligados por laços sanguíneos. Prática comum entre seus membros era o sistema de adoção para garantia da permanência no poder. Foi durante o período que essa dinastia esteve a frente do poder que se considera que o Império tenha vivido seu período de maior prosperidade.

Trajano fora precedido por Nerva, que governou por apenas dois anos, e foi responsável por uma boa interlocução tanto com o senado como com a população em geral, ocasionando em um período de tranquilidade e estabilidade econômica. Assim, quando Trajano chegou ao poder, as finanças do Império estavam equilibradas.

Busto do Imperador Trajano. Foto: Bibi Saint-Pol / via Wikimedia Commons / Domínio público

Trajano fora considerado um dos melhores imperadores de Roma por ter investido na melhoria das finanças, do comércio, no investimento em portos e nas obras públicas com equilíbrio e cuidado. Além disso, Trajano tratou de incentivar a atividade intelectual, importante elemento de desenvolvimento e prosperidade. Foi responsável por reduzir impostos e promoveu diversas obras em todo o Império Romano. Foi durante o seu governo que foi construído o Fórum Romano, um importante marco da vida política e cultural romana, e onde eram realizados debates públicos, eleições, dentre outras tantas reuniões. Além do Fórum investiu em obras estruturais, como a construção de estradas – fundamentais para um Império em expansão, para chegada das tropas e para o recolhimento de impostos nos territórios mais longínquos – pontes, portos e aquedutos. Essas obras, além de facilitarem o processo de expansão, surtiam efeito na população, que passava a admirar o governante responsável por elas.

Fórum Romano, o centro da antiga capital do Império. Foto: Artem Avetisyan / Shutterstock.com

Além de bom administrador Trajano era considerado um bom militar e por isso organizou tropas para conquistas de novos territórios para o Império Romano. Durante seu governo o Império Romano vivia um período de expansão. Essa conquista de novas terras, tomadas como prioridade por Trajano como por tantos outros imperadores, fez com que o Império Romano tenha sido o maior Império do mundo antigo. Foi com as conquistas de Trajano que o Império atingiu sua máxima extensão territorial.

Trajano enfrentou também conflitos e guerras. A primeira delas foi contra os dácios, um povo localizado na região da atual Romênia, no ano de 101. O Império Romano saiu vencedor da disputa na chamada Segunda Batalha de Tapas. Poucos anos depois, entre 105 e 106, Trajano voltou a enfrentar os dácios. Desta vez tomaram a capital, decapitaram seu líder Decébalo e anexaram o território.

Outro inimigo de Trajano foi o Império Parta. Em 113 iniciou-se outra guerra, contra os povos partas, resultando na anexação, por parte do Império Romano, da Armênia, da Assíria e da Mesopotâmia.

Trajano faleceu em 117 mas antes adotou Adriano, seu sobrinho, que veio a ser seu sucessor. Por suas conquistas territoriais e militares Trajano foi um dos imperadores com maior fama, mesmo após sua morte. Além disso, sua boa administração, com diminuição de impostos e investimentos em obras públicas, também lhe rendeu o reconhecimento de seu governo. Por essas razões, esse período de estabilidade e prosperidade é conhecido na história romana como Idade do Ouro. As conquistas de Trajano marcaram a História do Império Romano, alcançando não apenas estabilidade política mas também regiões afastadas e difíceis de serem conquistadas.

Referência:

GIORDANI, Mario Curtis. História de Roma: A antiguidade Clássica II. Petrópolis, Ed. Vozes, 2001.