Dióxido de enxofre

Doutora em Química (UFSC, 2016)
Mestre em Química Analítica (UFPR, 2010)
Licenciada e Bacharelada em Química (UFPR, 2009)

Publicado em 03/06/2019

O dióxido de enxofre é uma molécula formada pelas ligações duplas covalente entre átomos de S e O, cuja fórmula molecular é SO2 e apresenta geometria angular e caráter polar. As interações intermoleculares das moléculas de SO2 são do tipo dipolo-dipolo ou dipolo permanente e em temperatura ambiente ele se encontra na forma de gás, sendo seu ponto de ebulição de -10 ºC, fusão -72 ºC. É conhecido também com anidrido sulfuroso, sendo um gás incolor, não inflamável, com densidade de 2,63 kg/m3 (cerca de 2 vezes mais denso que o ar atmosférico), solúvel em água e tóxico. É bastante solúvel nas mucosas do trato respiratório e com isso pode provocar irritação, desconforto na respiração e agravamento que problemas respiratórios. Além de irritação nos olhos e na pele, e dependendo da concentração até mesmo queimaduras.

O dióxido de enxofre pode ser encontrado nos gases expelidos por vulcões. Foto: Vadim Petrakov / Shutterstock.com

Na natureza o SO2 é produzido por atividades vulcânicas, incêndios florestais, combustão do enxofre ou pirita ou oxidação de compostos voláteis de enxofre em função da decomposição de matéria orgânica. Pode ser formado, por exemplo, pela oxidação do sulfeto de hidrogênio pelo ar atmosférico.

2 H2(g) + 3 O2 (g) → 2 SO2 (g) + 2 H2(g)

Em relação às fontes antrópicas, os centros urbanos e industriais são os principais emissores de SO2 para atmosfera. Isso acontece, pois esse composto está presente como uma impureza nos combustíveis fósseis, sendo formado majoritariamente (cerca de 80%) pela queima incompleta de diesel nos veículos pesados, carvão e petróleo em usinas de energia ou fundição de cobre.

Na indústria o SO2 é utilizado para a produção de ácido sulfúrico (H2SO4), que possui numerosas aplicações como reagente químico. O SO2 também tem aplicação como conservante de alimentos (frutos secos), gás de refrigeração na indústria de bebidas e na fabricação de papel sulfite. Na indústria de produção de vinho, está presente na forma de H2SO3 e é utilizado para inibir ou interromper a ação de leveduras e bactérias. Ele interrompe o processo de fermentação no tempo desejado, e também atua como esterilizante.

O SO­2 juntamente com o dióxido de nitrogênio (NO2), é um dos principais responsáveis por um problema ambiental conhecido como chuva ácida. Isso acontece em função da sua solubilidade esse gás interage com as moléculas de água presentes na forma de gotículas na atmosfera e forma o ácido sulfuroso (H2SO3):

2 SO2 (g) + 2 H2(l) → H2SO3 (aq)

Esse ácido, por sua vez, é oxidado na atmosfera, produzindo o ácido sulfúrico (H2SO4), que faz com a água da chuva tenha um pH ácido. Essa chuva causa uma série de problemas, pois diminui o pH das águas dos rios, lagos, etc, e também dos solos, tornando-os infértil em função da destruição de nutrientes e microorganismos. A diminuição do pH causa a morte de peixes e plantas aquáticas, e interfere na solubilidade de compostos nos solos, o que irá afetar o metabolismo de plantas que poderão deixar de absorver compostos importantes para a o seu desenvolvimento e realizar a fotossíntese. Além disso, a chuva ácida pode ocasionar problemas nas cidades, destruindo monumentos, edificações, pontes, veículos, e até mesmo tintas pelo processo de corrosão.

Em função dos problemas de saúde e ambientais provocados pelo SO2 existem limites para o teor de enxofre presente nos combustíveis. Além disso, está presente na lista de indicador da qualidade do ar do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA).

Leia mais:

Referencias:

Atkins, P. W.; Jones, Loretta . Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. Volume único. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

Cardoso, A.A.; Pitombo, L.R.M. Contribuição dos compostos reduzidos de enxofre no balanço global do estoque de enxofre ambiental. Química Nova, v. 15, p. 219, 1992.

Indicadores de Qualidade do ar Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) disponível em http://www.mma.gov.br/port/conama/ acessado em abril de 2019.

Kotz, J. C. Química Geral e Reações Químicas. Volume 1, 9ª edição, Cengage Learning, 2015.

Tito e Canto. Química na Abordagem do Cotidiano. Volume único, partes A e C – Química Orgânica. Editora Saraiva 2005.

Silva, L. A.; Carvalho, L. S.; Lopes, W. A.; Pereira, P. A. de Paulo.; Andrade, J. B. Solubilidade e reatividade de gases. Química Nova, Vol. 40, No. 7, 824-832, 2017

Arquivado em: Compostos Químicos