Natal

Ouça este artigo:

No dia 25 de dezembro o Natal é comemorado. É um feriado de cunho religioso e uma das festas mais tradicionais da cultura mundial. As pessoas celebram o Natal de acordo com a sua tradição religiosa. O Natal dos cristãos, por exemplo, gira em torno do nascimento de Jesus Cristo de Nazaré, considerado a figura mais importante dos católicos e seu líder espiritual, de quem as lições de vida e parábolas alicerçam a religião. As festas de Natal normalmente ocorrem com a decoração da árvore de Natal, a troca de presentes, cartões, músicas natalinas, festas na Igreja, decorações como pisca-piscas, guirlandas, presépios, além da realização da Ceia de Natal entre amigos e familiares. Nesta data, as crianças costumam aguardar a chegada do Papai Noel.

Outras vertentes cristãs também celebram o Natal, a exemplo da Igreja Ortodoxa. Porém, a comemoração por esta vertente ocorre no dia sete de janeiro, pois seu calendário é o Juliano. Já os cristãos armênios comemoram o Natal no dia 6 de janeiro.

Foto: Piotr Adamowicz / Shutterstock.com

Origens do Natal

Há uma discussão entre historiadores sobre o surgimento do Natal e sobre o motivo de ser comemorado no dia 25 de dezembro. Conclusões a respeito deste tema são complicadas para estes especialistas devido à falta de evidências e fontes de comprovação, visto que a maior parte do material daquele período não foi conservada.

Em um primeiro momento, a comemoração da data era dedicada anualmente ao Deus Sol durante o solstício de inverno. Era o momento de celebrar a luz, visto que o inverno tinha ficado para trás e os dias prolongados e quentes estariam por vir. Os romanos antigos faziam a celebração da Saturnália, festa na qual trocavam presentes e alternavam de papel social. Porém, o evento ganhou nova significação por meio da Igreja Católica, durante o século III.

A fixação do Natal no dia 25 de dezembro foi obra de Constantino (272 – 337), imperador romano, indicando a celebração da festa do Sol de Roma. Depois, passou ser comemorada a data de nascimento de Jesus Cristo naquela mesma efeméride no intuito de estimular que os pagãos optassem por se converter ao domínio do Império Romano.

Outro povo que também celebrava o solstício era o nórdico. Na Escandinávia, o dia 21 de dezembro trazia o retorno do Sol e, em comemoração, o povo festejava até que grandes toras de madeira fossem totalmente queimadas, algo que poderia durar até 12 horas. Para eles, cada uma das faíscas que emanavam da madeira era igual ao nascimento de um novo bezerro ou porco no ano seguinte, simbolizando fartura.

Incremento econômico

Durante o período do Natal ocorre um aumento significativo no setor de vendas e áreas adjacentes. Isso acontece devido à troca de presentes e aos preparativos de Natal, os quais demandam imensa procura por brinquedos para crianças, alimentos, entre outros produtos tradicionais. Assim, o feriado passou a ser um período chave para as empresas e cresceu ininterruptamente em termos comerciais com o passar dos anos. Alguns religiosos criticam esse fenômeno afirmando que acaba por substituir o significado real do Natal.

Leia também:

Fontes:

https://www.britannica.com/topic/Christmas

https://www.independent.co.uk/news/long_reads/dark-side-christmas-saturnalia-christmas-carol-dickens-norse-mythology-festive-traditions-a8112341.html

https://www.nsctotal.com.br/noticias/conheca-a-origem-do-natal-e-saiba-como-seus-simbolos-evoluiram

http://obviousmag.org/archives/2007/12/saturnalia.html