Presbiterianismo

Pós-doutorado em História da Cultura (Unicamp, 2011)
Doutor em Ciências da Religião (Umesp, 2001)
Mestre em Teologia e História (Umesp, 1996)
Licenciado em Filosofia (Unicamp, 1992)
Bacharel em Teologia (Mackenzie, 1985)

Presbiterianismo é um termo derivado da palavra grega “presbítero”, utilizado em igrejas cujo governo é exercido por presbíteros, líderes escolhidos pela própria comunidade. Presbyteros, no Novo Testamento significava originalmente "ancião", "homem idoso" e se referia à liderança exercida pelos membros mais experientes da comunidade, não necessariamente os mais velhos. O termo passou a ter um sentido técnico de líder da igreja. Há referências aos presbíteros em passagens bíblicas e também ao seu coletivo "presbitério" ou “concílio de presbíteros”. Seguindo precedentes bíblicos, igrejas presbiterianas são lideradas pelos presbíteros leigos "regentes" (que governam) para funções administrativas e os presbíteros "docentes" (que ensinam), seus ministros ou pastores. Ambos têm paridade, não se constituindo em hierarquia, mas somente os pastores (presbíteros docentes) ministram sacramentos.

João Knox e André Melville deram origem ao sistema presbiteriano de governo por ministros e leigos, numa série de concílios, em ordem ascendente, do Conselho local (governo da comunidade), Presbitérios (concílios regionais) e Assembleia Geral (sínodo nacional). Como os dirigentes desse sistema eclesiástico são presbíteros, o sistema se tomou conhecido por presbiterianismo. A primeira Igreja com o nome “Presbiteriana” apareceu na Escócia, quando o Parlamento aboliu o catolicismo e declarou este sistema como Igreja oficial da Escócia, há 400 anos. O governo presbiteriano da igreja deu origem ao sistema democrático-representativo no mundo todo.

Presbiterianismo é um dos diversos segmentos ou denominação religiosa protestante, derivado do calvinismo e também chamado de Igreja Presbiteriana ou Reformada. Se identifica como movimento religioso protestante ou como ideologia sociocultural com raízes na Reforma Protestante de Calvino em Genebra. A Reforma do século 16 originou diversos grupos que constituem o protestantismo, o presbiterianismo é um desses e desde o século 16 tem se espalhado por toda parte como denominação cristã calvinista, com muitos seguidores de sua teologia e do sistema presbiteriano de administração da igreja. Na Europa Ocidental, os calvinistas foram chamados de presbiterianos (Escócia), de huguenotes (França), de puritanos (Inglaterra), reformados ou protestantes (Suíça, Holanda, Hungria).

O termo se refere às doutrinas e práticas das Igrejas Presbiterianas ou reformadas. Os nomes adotados por igrejas protestantes derivaram dos nomes de fundadores (luteranos, menonitas), convicções doutrinárias (batistas, metodistas, pentecostais) ou estruturas eclesiásticas e formas de governo (presbiterianos, episcopais, congregacionais).

O presbiterianismo tem raízes nos reformadores Ulrico Zwínglio (1484-1531) e João Calvino (1509-1564), seu principal líder e teólogo do movimento iniciado na Suíça. O nome Igreja Presbiteriana popularizou-se nas Ilhas Britânicas a partir do escocês João Knox (1514-1572), discípulo de Calvino e surgiram comunidades presbiterianas na Escócia, Irlanda e Inglaterra. A Assembleia de Westminster, do Parlamento Inglês (1643-1649), produziu a base doutrinal e padrões eclesiásticos fundamentais para os presbiterianos: Confissão de Fé de Westminster, Catecismos Maior e Menor. Escoceses e irlandeses levaram o presbiterianismo para os Estados Unidos (séculos 17-18) e, dos EUA, um grande movimento missionário protestante (século 19) levou igrejas presbiterianas a países do hemisfério sul. No Brasil, veio por intermédio do missionário presbiteriano Ashbel Green Simonton (1859).

Referências bibliográficas:

CHAUNU, Pierre. O tempo das reformas (1250-1550): a Reforma protestante. Lugar na História, v. 49-50, Edições 70, 1993.

MARTINA, Giacomo. História da Igreja: de Lutero aos nossos dias. V. 1: A era da Reforma. São Paulo: Loyola, 1997.

SILVESTRE, Armando A. Calvino: o potencial revolucionário de um pensamento. São Paulo: Vida, 2009.

______. Calvino e a resistência ao Estado. São Paulo: Mackenzie, 2003.

http://portuguese.thirdmill.org/files/portuguese/23860~11_1_01_10-25-49_AM~Presbiterianos_origem_e_significado_do_termo.html

http://mb-soft.com/believe/ttcm/presbyte.htm

Arquivado em: Cristianismo