Dia do Folclore Brasileiro

O "Dia do Folclore Brasileiro" é comemorado dia 22 de agosto. A data foi oficializada pelo presidente Humberto Castelo Branco, em 17 de agosto de 1965 por meio do Decreto nº 56.747.

A palavra folclore foi utilizada pela primeira vez em 22 de agosto de 1845, pelo pesquisador britânico William John Toms, ao escrever um artigo sobre lendas, costumes e superstições. A palavra folclore derivou da expressão inglesa folklore utilizada por Toms, que significa sabedoria popular.

O folclore é definido como um conjunto de costumes, crenças, contos, mitos, músicas, danças, festas populares e outros aspectos, em diversas culturas e regiões do país. No Brasil, os principais estudiosos da área foram Renato Almeida (1.895-1.981), Mário de Andrade (1.893-1.945) e Luís da Câmara Cascudo (1.898-1.986).

Entre as atividades folclóricas destacam-se: cantigas de roda, samba de roda, maracatu, samba de roda, catira, afoxé, frevo, quadrilha, festa junina, bumba meu boi, folia de reis, carnaval e diversos outros. Os personagens folclóricos da cultura popular são conhecidos como saci-pererê, curupira, caipora, boitatá, iara, cuca, boto cor de rosa, mula sem cabeça, bicho papão, lobisomem, negrinho do pastoreiro, etc.

As lendas e os mitos  passados de geração em geração, foram histórias criadas e contadas pela população com objetivo de transmitir alguma mensagem ou assustar pessoas. Conheça algumas histórias tradicionais:

  • O Lobisomem: o sétimo filho homem nasce com essa condição, ou seja, transforma-se em lobo em noites de lua cheia, voltando à forma humana apenas ao amanhecer;
  • O Curupira: um ser habitante da mata, de baixa estatura, cabelos vermelhos e pés invertidos. Os pés ao inverso são para deixar pegadas enganosas e confundir caçadores. O propósito dele é proteger a natureza e os animais;
  • O Saci pererê: é conhecido como um menino travesso. Gosta de montar em cavalos e dar nó em suas crinas, dá risadas alegres e gosta de assobiar. Ele possui uma perna, é de cor negra, usa um gorro vermelho e fuma cachimbo. Sempre aparece e desaparece de forma misteriosa;
  • A mula sem cabeça: a história fala de uma mulher que foi amaldiçoada por ter se relacionado com um padre. De acordo com a lenda, toda mulher que se envolvesse com um padre se transformaria na mula sem cabeça que solta fogo pelo pescoço.

Arquivado em: Datas Comemorativas