Festa do Círio de Nazaré

A Festa do Círio de Nazaré é uma manifestação religiosa que ocorre anualmente no mês de outubro em Belém, capital do Estado do Pará. A homenagem é voltada à Nossa Senhora de Nazaré, mãe de Jesus Cristo.

A festa possui uma programação com diversos eventos, entre elas, missas, romarias, apresentações musicais, visitas, arraial de Nazaré na Praça Santuário (barraquinhas com comidas típicas, artesanatos, jogos, bazar e parque de diversão). Considerada uma das maiores festas religiosas do Brasil, reúne cerca de dois milhões de fiéis. A cada ano que passa, o número de visitantes aumenta. São pessoas vindas de diversas regiões do país e do exterior.

As romarias são realizadas de diversas formas, como rodoviária, fluvial, em motos e bicicletas, procissão à luz de velas, da juventude, das crianças, dos corredores e recírio (procissão que encerra a festividade).

O dia mais importante e o auge da celebração de Nossa Senhora de Nazaré é sempre no segundo domingo do mês de outubro. Nesta data, os devotos realizam uma procissão carregando a imagem da santa desde a Catedral Metropolitana de Belém, até a Praça Santuário de Nazaré, onde ela fica exposta para visitação durante 15 dias. O percurso é de 3,6 quilômetros e o tempo de trajeto pode levar muitas horas. Em 2004, o tempo percorrido chegou a 9 horas e 15 minutos, o mais longo da história.

A imagem da santa sendo carregada durante o Círio de Nazaré, em Belém do Pará. Foto: N. Antoine / Shutterstock.com

O Círio de Nazaré foi instituído em 2004 como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Em 2015, recebeu da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade.

A devoção à Nossa Senhora de Nazaré surgiu em 1700, quando um caboclo (descendente de portugueses e índios) chamado Plácido José de Souza, encontrou a imagem da santa no rio igarapé Murutucu, em Belém. A imagem era esculpida em madeira e possuía 28 cm de altura.

Plácido levou a imagem para sua casa, onde limpou e a colocou num altar improvisado. Segundo relatos, a estátua retornou inexplicavelmente para seu local de origem por algumas vezes, acontecia sempre que o caboclo trazia de volta. Então, Plácido resolveu construir uma pequena capela no mesmo local onde ela havia sido encontrada. A população atraída pela santa e pelos acontecimentos passaram a visitar a capela.

Na época, o governador da capitania, D. Francisco Maurício de Sousa Coutinho, determinou a transferência da imagem para a capela do Palácio da Cidade. Mesmo mantida sob guarda, a imagem desapareceu novamente e foi encontrada na pequena capela construída por Plácido. A partir deste momento, o número de devotos passou a crescer e ela permaneceu naquele local. Atualmente, o lugar é onde fica a Basílica de Nazaré.

Em 1774, a imagem foi enviada para Portugal para ser restaurada. Ela retornou no mesmo ano, onde foi acompanhada em grande romaria até seu santuário. Considerado o primeiro Círio, centenas de moradores estavam presentes, inclusive, governador, bispo e outras autoridades.

O Círio também movimenta os setores econômicos do comércio, sendo considerada a época de alta temporada em Belém.

Fontes:

https://arquidiocesedebelem.com.br/cirio-de-nazare/

https://ciriodenazare.com.br/site/cirio/