Noma

A noma, também conhecida como estomatite gangrenosa ou oris cancrum, trata-se de um processo gangrenoso intenso dos tecidos moles da face.

Atinge em especial crianças entre os 2 aos 6 anos de idade, que se encontram debilitadas e mal nutridas, principalmente em países subdesenvolvidos, como países do continente africano e da América do Sul. Têm sido descritos também raros casos de noma em adultos severamente imunodeficientes, como portadores da AIDS, mielopatia ou que estão sendo submetidos a um tratamento imunossupressor.

Acredita-se que os principais agentes etiológicos envolvidos na noma são as bactérias oportunistas Fusobacterium necrophorum e Prevotella intermedia, que podem interagir com outras bactérias, tais como a Borrelia vincentii, Porphyromonas gingivalis, Tannerella forsynthesis, Treponema denticola, Staphylococcus aureus e Streptococcus spp.

Além da má nutrição, outros fatores predispõem o surgimento desta patologia, como:

  • Higiene oral inadequada;
  • Saneamento básico ineficiente;
  • Água não potável;
  • Ocorrência recente de outra doença;
  • Distúrbio de imunodeficiência, como, por exemplo, a AIDS.

Esta doença foi observada em campos de concentração de nazistas, durante a Segunda Guerra Mundial e foi estudada pelo médico nazista Josef Mengele. Nos dias de hoje esta doença praticamente não é mais encontrada, com exceção de casos relacionados a condições imunossupressoras.

Diferentemente de outros tipos de infecção, esta é capaz de atravessar barreiras anatômicas, como a musculatura, de forma que há o desenvolvimento de úlceras nas membranas mucosas da boca, com rápido e indolor comprometimento dos tecidos da face, incluindo os ossos. Também pode haver o comprometimento dos órgãos genitais, recebendo, nesse caso, o nome de noma pudendi.

A doença está relacionada com alta morbidade e alta mortalidade, sendo que entre 80% a 90% dos indivíduos afetados pela noma morrem em decorrência da doença.

A evolução da afecção deve ser freada com o uso de antibióticos, em associação com a melhoria da nutrição. Todavia, a deformação que causa é permanente e pode ser necessário realizar cirurgia plástica reconstrutiva para reparar os danos. Esta última deve ser adiada até a recuperação completa do paciente, que tipicamente se dá após um ano do início do tratamento.

A prevenção desta doença é feita através da melhoria da higiene oral e da nutrição.

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Noma_(disease)
http://www.rightdiagnosis.com/medical/gangrenous_stomatitis.htm
http://saude.psicologiananet.com.br/palavra-chave/noma

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças bacterianas