Derramamentos de petróleo no Brasil

Especialista (MBA) em Gestão da Qualidade Total (UFF, 2013)
Graduada em Química, Tecnóloga (Unigranrio, 2011)
Graduada em Ciências Biológicas (Unigranrio, 2006)

O petróleo é um hidrocarboneto com característica apolar, e consequentemente hidrofóbico. Um acidente com esse insumo pode acarretar grandes prejuízos não somente na região do seu derramamento, mas para todo o meio ambiente (fauna e flora), bem como as atividades que regem a economia da região como a pesca.

Em um derramamento de petróleo a principal atitude a ser tomada é a contenção do material para que não se espalhe. No mar pode ser realizado por meio de barreiras físicas ou por sucção pelos navios. Contudo, o processo de regeneração e despoluição é lento e de pouca eficiência, e com isso, o aprimoramento constante é o desafio.

O primeiro derramamento de petróleo no Brasil ocorreu em 1975, quando 6 mil toneladas de óleo vazaram na Baía de Guanabara, ocasionado por um cargueiro. Desde então, vários acidentes de diversos tipos de proporções ocorreram em território nacional, principalmente devido às explorações offshore. Essas ocorrências poderiam ser evitadas a partir de intensas fiscalizações na área. Na tabela abaixo pode ser verificado os principais acidentes com o petróleo no Brasil.

Ano Local Quantidade Causa
03/1975 Baía de Guanabara, RJ. 6 mil toneladas. Vazamento de cargueiro fretado pela Petrobrás.
10/1983 Bertioga, SP. 3 milhões de litros. Vazamento de oleoduto.
6/1992 Área de manancial do Rio Cubatão, SP. 10 mil litros. -
4/1994 Dezoito praias do Norte Paulista, SP. 2,7 milhões de litros. -
3/1997 Baía de Guanabara, RJ 2,8 milhões de litros. Rompimento de duto.
8/1997 Praias da Ilha do Governador, RJ. 2 mil litros. Petrobrás.
10/1998 São José dos Campos, SP. 1 milhão de litros. Rompimento de duto.
8/1999 Igarapé do Cururu (AM) e Rio Negro. 3 mil litros.

Vazamento de Oleoduto.

1/2000 Baía de Guanabara, RJ. 1,3 milhões de litros. Rompimento de duto da Refinaria de Petróleo de Duque de Caxias, RJ.
7/2000 Rio Iguaçu, PR. 4 milhões de litros. -
11/2000 Praias de São Sebastião e Ilhabela, SP. 86 mil litros. Vazamento de cargueiro.
2/2001 Morretes, PR. 50 mil litros. -
3/2001 Bacia de Campos, RJ. 1,5 milhões de litros. Plataforma P-36.
11/2011 Bacia de Campos, RJ. 3.700 barris de óleo. Vazamento do Campo do Frade, administrada pela empresa Chevron.
01/2012 Praia em Tramandaí, RS. 1,2 milhões de litros. Rompimento de duto.

Fonte: Elaborado a partir de notícias da internet.

Várias incidências podem ser constadas. Em janeiro de 2012, um derramamento no mar ocasionado devido à uma operação de transbordo de uma monoboia da Transpetro, atingiu a praia em Tramandaí, RS. O acidente derramou cerca de 1,2 milhões de litros de óleo no mar. Em 2014, a mesma região foi atingida por cerca de 4 mil litros, ocasionados pelo mesmo problema, rompimento dos mangotes um tipo de duto submarino.

Em janeiro de 2016, ocorreram vários vazamentos no Peru, devido à um acidente com um oleoduto da empresa Petroperu, na bacia do Rio Marañon, um afluente do rio Amazonas. Apesar do derramamento ter ocorrido em terras internacionais, o problema afeta todo o bioma da Amazônia, inclusive a região brasileira.

Um desastre ambiental que apresenta como coadjuvante principal o petróleo, pode ser proveniente de falhas humanas ou de equipamentos, que muitas vezes poderiam ser evitados por meio de treinamentos adequados e manutenções periódicas, e desse modo, diminuir as incidências de vazamentos.

Leia também:

Fontes:

http://www.ceped.ufsc.br/2000-derramamento-de-oleo-na-baia-de-guanabara/

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2014/07/vazamento-de-petroleo-e-observado-perto-da-praia-de-tramandai-rs.html

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2012/01/petroleo-derramado-no-mar-chega-beira-da-praia-em-tramandai-rs.html

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2016-03/derramamento-de-oleo-ameaca-rios-na-amazonia

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,p-34-pode-ter-mesma-historia-da-p-36,20021013p53991

https://oglobo.globo.com/economia/mancha-de-novo-vazamento-tem-1-km-de-extensao-4338973

https://br.advfn.com/jornal/2017/06/petrobras-interrompe-producao-apos-vazamento-de-petroleo

Arquivado em: Ecologia