Fenômenos físicos e químicos

Mestre em Oceanografia Física (USP, 2019)
Graduada em Física (UFABC, 2016)

Ouça este artigo:

Quando estudamos as coisas que estão ocorrendo ao nosso redor (fenômeno) saber como ele se dá e se ele acarreta em alguma transformação é algo de extrema importância, não só para entender o fenômeno para mas saber se a sua ocorrência terá ou não alguma consequência.

Quando estudamos fenômenos temos duas possibilidades: fenômenos físicos e químicos. Vejamos o que são e suas diferenças.

Fenômeno Físico

Um fenômeno físico é aquele onde a constituição do material não muda, ou seja, após a ocorrência do fenômeno o material continua sendo o mesmo. São exemplos de fenômenos físicos:

  • Amassar um papel,
  • Quebrar um vaso de cristal,
  • Ebulição da água,
  • Derretimento do gelo,
  • A fundição de um metal, etc.

Em todos esses casos há mudança na forma, tamanho e até aparência, mas nunca mudança do material.

Fenômeno Químico

Já um fenômeno químico é aquele onde a constituição (química) do material é alterada, ou seja, após a ocorrência do fenômeno há mudança do material. Alguns exemplos de fenômenos químicos são:

Em todos esses casos há mudança do material após a reação, pois ocorreu uma reação química. Com isso, podemos dizer que o material inicial é um reagente que, após o fenômeno, se tornou um produto. Por exemplo, durante a queima de um papel: inicialmente tínhamos papel (celulose), que reagiu com o oxigênio do ar (fenômeno da queima), produzindo gás carbônico, vapor de água e cinzas (produtos).

Como diferenciar um fenômeno físico de um fenômeno químico?

Podemos dizer que a maneira direta de identificar se um fenômeno é físico ou químico é ver se há produção de uma nova substância, ou seja, se houve ração química. A maneira indireta é ver se houve reação química e, para isso, devemos observar se houve a ocorrência de:

  • Mudança de temperatura,
  • Liberação de gás (efervescência),
  • Liberação de odores,
  • Formação de precipitado,
  • Alteração na cor,
  • Produção de som,
  • Emissão de faíscas ou luzes, etc.

Mas cuidado, misturas de substâncias podem ou não ser fenômenos químicos, por exemplo, a dissolução de açúcar em água, não há formação de nenhuma substância nova, logo é um fenômeno físico. Porém, ao fazermos uma calda de açúcar (açúcar + água fervendo), temos a produção do caramelo e, portanto, de uma nova substância, ou seja, aconteceu um fenômeno químico.

Exemplos

  1. Analise quais dos itens abaixo são fenômenos físicos ou químicos.
  1. Apodrecimento de uma maça
  2. Quebrar uma pedra
  3. Fogos de artifício
  4. Misturar água com óleo
  5. Transformação de vinho em vinagre
  6. Respiração
  7. Sublimação de gelo seco (CO2 sólido).

Solução:

  1. Fenômeno químico, pois o apodrecimento de alimento ocorre quando fungos e bactérias quebram a estrutura do alimento, causando reações químicas.
  2. Fenômeno físico, pois a quebra de uma pedra não implica em mudança de material, ela só muda de forma, mas ainda terá a mesma composição.
  3. Fenômeno químico, pois a explosão de fogos de artifício ocorre quando há reação química entre a pólvora (ou material interno) e o ar, causando faíscas.
  4. Fenômeno físico, pois a mistura de água com óleo não há nem mistura e nem mudança de material inicial.
  5. Fenômeno químico, pois a transformação de vinho em vinagre ocorre o álcool do vinho reage com o ar, causando oxidação (reação química).
  6. Fenômeno químico, pois a respiração ocorre devido a uma série de processos e reações químicas, onde o material inicial (O2) e o material final (CO2) são diferentes.
  7. Fenômeno físico, pois a sublimação de gelo seco nada mais é do que a mudança de estado de um mesmo material, ou seja, ele muda a sua forma, mas não muda a substância inicial.
Arquivado em: Físico-química, Química