Legado da Civilização Romana

Graduada em História (Udesc, 2010)
Mestre em História (Udesc, 2013)
Doutora em História (USP, 2018)

Publicado em 21/12/2018

Durante todo o período em que existiu o Império Romano foi responsável por fomentar práticas próprias que se espalharam pelo mundo e que fazem com que seja lembrado até os dias de hoje, e permanência de sua cultura e sociedade se fazem presentes até hoje em diversas sociedades do mundo ocidental. Cabe aqui destacar o latim, como língua que originou diversas outras neolatinas, como o francês, o português e o espanhol; o direito romano, que é a principal base do nosso direito brasileiro; a arquitetura romana até hoje presente em forma de ruínas que atraem turistas de todo o mundo; os valores do exército romano, como a disciplina e a estratégia, também bastante difundidos entre exércitos de diversas sociedades; e o cristianismo, o maior e mais evidente legado do Império Romano.

Língua

O Latim era considerado a língua oficial do Império Romano e servia de base para diferenciar os cidadãos romanos dos povos bárbaros. Ele foi o responsável por unificar o Império e promover uma identidade entre seus cidadãos. Com o processo expansionista do Império, os dialetos locais dos povos conquistados foram se misturando ao latim, fazendo surgir novas línguas, as chamadas línguas neolatinas, como o francês, o português e o espanhol.

Artes

No campo das artes podemos destacar a arquitetura romana, que possui exemplares até os dias atuais em ruínas, que são diariamente visitadas por turistas de todas as partes do mundo. Neste ponto se destaca o Coliseu, um anfiteatro que servia tanto para apresentações teatrais como para os jogos gladiadores, possibilitando que todos tivessem visão ampla do que ocorria no centro.

Coliseu (Roma, Itália). Foto: Viacheslav Lopatin / Shutterstock.com

Exército: disciplina e estratégia

O Império Romano também deixou um importante legado para formações de exércitos. Como se sabe o exército romano foi uma das principais características que possibilitou o seu desenvolvimento e a sua expansão. O exército romano era formado com base em dois princípios: a disciplina e a estratégia, que até hoje são valores basilares na formação de exércitos de diversas nações pelo mundo.

Direito romano

O direito romano também se difundiu pelo mundo ocidental e foi uma importante base para o desenvolvimento do direito moderno em diversas sociedades. Surgido da necessidade de mediar as relações entre os diferentes grupos sociais, o direito romano iniciou-se a partir da Lei das Doze Tábuas em 450 a.C. e foi se desenvolvendo desde então. Porém, é o Corpo de Direito Civil, ou Corpus Juris Civilis, uma obra jurídica desenvolvida durante o governo de Justiniano I no Império Bizantino (o Império Romano do Oriente), que serviu de base para o direito civil moderno.

Lei das Doze Tábuas (desenho de Silvestre David Mirys, 1742-1810). Via Wikimedia Commons

Religião: cristianismo

Por fim cabe destacar que o principal legado deixado pelos romanos foi o cristianismo, uma religião nascida no Império Romano, que tinha nas suas bases a tradição judaica que pregava a crença na chegada de um messias à Terra, aquele que seria responsável por salvar os pecadores. Com base nisto surgiu uma nova religião que, inicialmente foi perseguida e combatida, mas que aos poucos passou a ganhar seguidores fiéis, como acontece até o nosso presente. Foi o desenvolvimento do cristianismo romano que instituiu a crença em um novo messias, Jesus Cristo, nascido há aproximadamente dois mil anos atrás, advindo da Judéia – atual Palestina. Os Evangelhos do Novo Testamento foram escritos por seus seguidores, os apóstolos, e compõem a Bíblia Sagrada cristã, até hoje o livro mais vendido no mundo.

Muitos foram os aspectos culturais e sociais desenvolvidos no Império Romano que chegaram até o nosso presente, através de permanências de sua cultura. Isso não significa que as práticas antigas não tenham sofrido alterações, mas indicam a potência do Império Romano.

Referências:

FUNARI, Pedro Paulo. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2002.

Arquivado em: Civilização Romana