Primeira Guerra Púnica

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

A Primeira Guerra Púnica foi o primeiro de uma série de três conflitos entre Roma e Cartago.

Na fase inicial do Império Romano, a cidade de Cartago era muito próspera no Mar Mediterrâneo. Cartago era de origem fenícia e tinha boas relações comerciais no Mediterrâneo e também com Roma. Sua posição a favorecia estrategicamente para o desenvolvimento de relações comerciais, uma vez que se situava de tal forma que permitia o fácil contato com a África e com várias ilhas próximas da Europa.

Ilustração: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:First_Punic_War_264_BC.png

Cartago prosperava no comércio de trigo, perfumes, pedras preciosas, metais, tecidos e marfins. Em razão de seu grande sucesso comercial, Cartago contava também com um grandioso exército, o qual superava até mesmo o romano.

Com o processo de expansão do Império Romano, Roma buscou conquistar a ilha da Sicília, com a qual Cartago tinha suas relações comerciais. A Sicilia era de grande importância econômica para os cartagineses, perder seu domínio representava grande insatisfação para este povo. Assim, a relação entre Roma e Cartago se estremeceu.

A Primeira Guerra Púnica começou no ano de 264 a.C. em conseqüência da invasão romana na ilha da Sicília. O conflito colocou em choque as duas maiores potências existentes na região do Mediterrâneo na época. É bem verdade que o Império Romano, até então, não desfrutava de uma grande e poderosa frota marítima para investir na conquista de uma ilha, mas a política de guerra de Roma era só terminar os combates quando a vitória fosse total. Por esse motivo, foram muitas as perdas humanas e materiais para os dois lados.

Por mais que os cartagineses dispusessem de grande e estruturado exército, além de recursos financeiros acumulados ao longo de vários anos de comércio, os romanos tinham a determinação. A habilidade tática de Roma superou a vantagem numérica de Cartago no campo de batalha.

O conflito se estendeu por longos 23 anos. Em 241 a.C. a Primeira Guerra Púnica chegou ao fim com a rendição imposta pelos romanos aos cartagineses. Roma conseguiu estruturar sua frota marítima e superar Cartago também nos mares. O resultado foi a declaração de Cartago aceitando o domínio romano sobre a Sicília e mais uma série de punições sofridas.

Após o conflito, os dois lados estavam sofrendo sérios danos econômicos e demográficos. As perdas financeiras e humanas foram impactantes para ambos os lados. Entretanto, Roma, como vencedora, conquistava um novo território para usufruir de seus produtos e ainda sobrecarregou Cartago com punições financeiras. Esta entrou então em um período de extrema crise, no qual ocorreu inclusive uma guerra civil. A cidade de Cartago padeceu das consequências da guerra.

Após a guerra, Roma se tornou um dos maiores impérios da Antiguidade. As fronteiras de influência foram definidas através de uma linha imaginária que cortaria o Mediterrâneo. De tal modo que Espanha, Córsega, Sardenha e África continuavam sob domínio de Cartago, e tudo que estivesse ao norte da linha seria de Roma. Os cartagineses procuraram se recompor através de sua região de influência e deslocaram o palco dos conflitos para outra região, o que teve como conseqüência novas guerras entre Roma e Cartago.

Fontes:
http://educacao.uol.com.br/historia/primeira-guerra-punica.jhtm
http://www.guerras.brasilescola.com/roma-antiga/primeira-guerra-punica.htm

Arquivado em: Antiguidade