Fantasia científica

Mestra em Literatura e Crítica Literária (PUC-SP, 2012)
Graduada em Letras (PUC-SP, 2008)

Publicado em 20/02/2019

O conceito de fantasia científica não apresenta definição exata por ser um gênero que transita entre as características do gênero fantasia e do gênero ficção científica. Por isso, pode-se dizer que a fantasia científica consegue combinar o elemento fantasioso e a realidade científica no mesmo texto.

Com o grande advento da ficção científica, muitos escritores passam a empregar a formatação e o estilo do novo gênero às lendas e às fantasiais tradicionais. O termo fantasia científica se populariza a partir das publicações nos chamados pulp magazines, como é caso de Magic, Inc. ou Slaves of Sleep.

A fantasia científica é composta por situações impossíveis de acontecer na vida real, mas que pelo trabalho de verossimilhança empregado pelo escritor, o impossível se torna possível como pacto de leitura. Diferentemente do gênero ficção científica, que trabalha com situações improváveis de acontecer de verdade, mas que pelas circunstâncias narradas até poderia acontecer na vida real.

Devido à dificuldade de delimitar a classificação, algumas obras que no passado foram consideradas ficção científica estão hoje dentro da categoria da fantasia científica, para citar alguns exemplos: Da Terra à Lua, de Jules Verne e The Worl Set Free, de H. G. Wells.

A semântica utilizada pelos escritores, isto é, o vocabulário dominante nos textos, dá um direcionamento que contribui para a classificação. Obras que empregam palavras que remetem ao universo da magia, da bruxaria e do encantamento, são caracterizadas como fantasia científica.

Já os textos que adotam vocábulos do universo da ciência e da tecnologia como robôs, naves, galáxia, planetas, dentre outros, são classificados como ficção científica.

Contudo, a nomeação desses gêneros apresenta uma linha muito tênue que, em certa medida, depende muito da intenção e do estilo do próprio escritor. Um enredo que narre uma viagem no tempo pode ser tanto fantasia científica quanto ficção científica. O que determina se a obra pertence a um gênero ou outro é a condução linguística e semântica da narrativa.

Se o escritor cria um universo com elementos científicos e tecnológicos a sua intenção naturalmente é produzir ficção científica; caso o escritor construa um universo mágico, inevitavelmente a sua produção se caracterizará como fantasia científica.

Há ainda uma atualização do universo científico-ficcional, algumas produções estão sendo classificadas como ficção científica fantástica, um gênero misto que conjuga características dos gêneros ficção e fantasia (científicas) ao mesmo tempo. Nesse tipo de produção, a tecnologia é indissociável da ficção.

Arquivado em: Gêneros Literários