O Uraguai

O Uraguai é uma obra de Basílio da Gama, poeta brasileiro. O livro é considerado um poema épico de 1769 que tinha o objetivo de exaltar a política do Marquês de Pombal contra os jesuítas. Utilizando a Guerra Guaranítica como tema histórico, Basílio da Gama coloca a culpa do massacre indígena nos jesuítas.

Os personagens criados por Basílio da Gama são: Tanajura (feiticeira índia), Cacambo (chefe da tribo), Lindóia (mulher de Cacambo), Caitutu (guerreiro índio e irmão de Lindóia), Balda (padre jesuíta que administra a aldeia), Cepé (índio guerreiro) e General Gomes Freire de Andrade (chefe das tropas de Portugal). Escrito em decassílabos brancos, O Uraguai não apresenta divisões entre as estrofes, o que indica as quebras são: o epílogo, a narrativa, a dedicatória, a invocação e a proposição. A base para a criação do enredo é a mitologia dos índios.

A história se passa em um povoado onde os nativos foram catequizados por Balda, um padre da Espanha. Neste local, vivem Cacambo, que simboliza a coragem, e Lindóia, ícone da delicadeza. Os dois formam um casal. Balda é representado como um religioso pérfido que engravida uma nativa, que dá a luz a Baldeta, personagem visto por todos como má pessoa. Com o objetivo de tornar a situação do filho um pouco mais amena na aldeia, o padre Balda casa Baldeta com Lindóia.

Então, o religioso manda Cacambo para missões onde o índio corre risco de vida, mas o guerreiro sempre retornar são, frustrando os planos do padre. Em uma destas ocasiões, Cacambo acaba sendo capturado pelos homens do General Gomes Freire, que acabam descobrindo que o verdadeiro vilão é o padre jesuíta e deixam que o nativo volte para alertar a aldeia sobre os perigos dos jesuítas.

Em seu retorno, o povoado mostra-se alegre e ele começa a tentar desmascarar os jesuítas. Porém, Balda mata Cacambo por envenenamento. Lindóia demora a acreditar que seu homem está morto, mas, depois se convence de que foi o padre que o matou. Então aceita casar com Baldeta. No dia do casamento, a mulher se mata, deixando que uma cobra peçonhenta lhe pique.

Nos versos abaixo a descrição da morte de Lindóia é apresentada de forma fantasiosa e bucólica, características típicas do Arcadismo (1768-1836).

“Descobrem que se enrola no seu corpo
Verde serpente, e lhe passeia, e cinge
Pescoço e braços, e lhe lambe o seio.
Fogem de a ver assim sobressaltados,
E param cheios de temor ao longe;
E nem se atrevem a chamá-la, e temem
Que desperte assustada, e irrite o monstro”.

Fontes:
http://pt.scribd.com/doc/5704416/O-Uraguai-Resumo-do-livro
http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/analises_completas/o/o_uraguai
http://www.algosobre.com.br/resumos-literarios/o-uruguai.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Arcadismo_no_Brasil#O_Uraguai

Arquivado em: Livros