Basílio da Gama

Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UNIABEU, 2015)

José Basílio da Gama, mais conhecido, no Brasil, como Basílio da Gama, fora escolhido por Aluísio Azevedo para ser patrono da cadeira n°4 da Academia Brasileira de Letras. O poeta nasceu em 22 de Julho de 1740, em São José do Rio das Mortes, atualmente, Tiradentes, no Estado de Minas Gerais. Filho do fazendeiro abastado, Manoel da Costa Vilas-Boas e de Quitéria Inácia da Gama, ficou conhecido com o seu poema épico “O Uraguai”.

Embora nascido em Minas Gerais, logo após a morte de seu pai, devido aos problemas financeiros da família, fora encaminhado ao Rio de Janeiro, apadrinhado pelo Brigadeiro Alpoim, ingressando no Colégio dos Jesuítas onde pretendia fazer noviciado para professor na Companhia de Jesus. Em 1759, durante o reinado de D. José I em Portugal, à influência do Marquês de Pombal, os Jesuítas membros da Companhia de Jesus foram perseguidos e expulsos do País. A partir deste evento, Basílio da Gama retorna à vida secular, pois aqueles que não se tornaram professores, assim faziam. Basílio conclui seus estudos e em sua trajetória, entre os anos de 1760 a 1767, já como poeta, viaja para Itália e também, Portugal. Conhecido pelo pseudônimo Termindo Sipílio, é recebido em Roma na Arcádia Romana, protegido pelos jesuítas que já simpatizavam com os seus poemas.

Em 1768, Basílio foi preso em Lisboa e condenado ao exílio, pois suspeitaram que ele estivesse ligado aos Jesuítas. Mas foi salvo por um Epitalâmio, cântico nupcial de origem religiosa, que escreveu para as núpcias de D. Maria Amália, cujo o pai era Marquês de Pombal, que simpatizou com Basílio e o perdoou, retirando-lhe a sentença, deu-lhe carta de nobreza e fidalguia, elevando-o ao posto de Oficial da Secretaria do Reino. O poeta passou a entender mais sobre a política pombalina e a identificar-se com ela. Em reposta aos feitos de Marquês de Pombal, Basílio escreveu o poema épico “O Uraguai” em 1769, que descrevia o momento conflituoso entre o ordenamento racional da Europa e o primitivismo do índio, e sobre a luta dos portugueses contra os jesuítas. Poema que não lhe alterou o cargo e tampouco estreitou seus laços com Marquês de Pombal, mas o tornou extremamente conhecido. Em 1777, Marquês de Pombal sofre queda política, entretanto, o poeta continuou em seu posto.

Em 1791, Basílio compôs o poema Quitúbia. E em 31 de julho de 1795, aos 55 anos de idade, o poeta falece, em Lisboa, Portugal.

Principais Obras:

  • Epitalâmio às núpcias da Sra. D. Maria Amália, 1769.
  • O Uraguai, 1769.
  • Os Campos Elíseos, 1776.
  • Relação abreviada da República, 1788.
  •  Lenitivo da saudade, 1788.
  • Quitúbia, 1791.
  • A declamação trágica, 1820.

Leia também:

Referências:

Academia Brasileira de Letras. Disponível em: http://www.academia.org.br/academicos/basilio-da-gama/bibliografia

Arquivado em: Biografias, Escritores