Mula

Graduada em Ciências Biológicas (USU, 2009)

A mula, ou também chamado de burro, pertence à família Equidae, a mesma dos cavalos (Equus caballus) e do jumento (também chamado de asno e jegue - Equus asinus). Quando a referência é feita em cavalos são geralmente chamados de equinos, já os jumentos como asininos e as mulas como muares. O seu habitat natural seriam as regiões temperadas, semiáridas ou montanhosas, mas devido a sua eficácia no trabalho pesado, é criado em todos os continentes e regiões.

Mula é o híbrido entre um jumento e uma égua. (Foto: Wikimedia Commons [domínio público])

A mula é um animal híbrido, oriundo do cruzamento de um cavalo com uma jumenta ou égua com um jumento. Como esses animais pertencem a espécies diferentes, mas são do mesmo gênero, e por via de regra, animais que não são da mesma espécie não geram prole férteis, as mulas são estéreis. O processo estéril deve-se do cruzamento de espécies diferentes e da diferença genética quanto ao número de cromossomos (Eqqus caballus - 2n = 64; Equus asinus - 2n = 62). Ao cruzarem geram uma prole de híbridos que apresentam células 2n = 63 cromossomos e são estéreis em quase sua totalidade, sendo registradas na literatura algumas exceções estimadas como uma em um milhão. Caso o indivíduo oriundo deste cruzamento nasça fértil, deve-se ao que é considerado distúrbio em outros animais, o Mosaicismo - um processo de não disjunção cromossômica.

As mulas, mesmo que inférteis, atingem a maturidade sexual com cerca de 4 anos e podem apresentar ciclos estrais, com atividade ovariana, produção hormonal e possuem uma anatomia genital compatível com seus progenitores. A dificuldade de gerar uma prole é a compatibilidade entre o espermatozoide e o ovócito que precisam ser semelhantes para que possa haver interação e consequentemente a fecundação. Pesquisadores em pesquisas recentes conseguiram comprovar a funcionalidade do útero e canal vaginal para o nascimento de prole em mulas. No teste foi introduzido em uma mula um óvulo já fecundado por um espermatozoide e ela conseguiu sem intervenção médica desenvolver e prover o nascimento de um filhote de cavalos, constatando assim que se a comunicação espermatozoide-óvulo for resolvida os muares se tornariam férteis. Assim como a glândula mamária foi capaz de se desenvolver e atender a demanda nutricional do filhote.

As principais características do grupo são: o peso máximo entre 120-180 kg., podem viver por mais de 15 anos com facilidade e atingindo até 35 anos, a velocidade de marcha chega entre 4-6 km/h, o comprimento chega até 2,7 metros.

Os burros são facilmente treinados para o trabalho e apresentam temperamento de animais calmos (dóceis) apesar de poderem ficar agitados se forem deixados muito tempo sozinhos. Considerados animais fortes e de com boa resistência para o trabalho pesado. Historicamente, o homem criou uma relação com os equinos para o uso desses animais no transporte de carga. Como são animais de boa tração e carregam com facilidade peso por longos percursos e períodos, os burros eram incitados a subir montanhas, mas ficavam livres para escolher por onde traçar o caminho, devido a sua pisada forte. Posterior a isso, era comum ver o homem construir calçamentos nos caminhos percorridos por burros por considerarem a forma mais fácil e eficaz de chegar a lugares altos. Também são utilizados em outros trabalhos como girar rodas de moinhos e bombear água, realizar aração em campos de cultivo e usados para guardar outros animais, tais como ovelhas e podem protegê-los contra predadores, com seus coices extremamente fortes.

Bibliografia:

ARAUJO, G.H.M. 2015. Particularidades e possíveis vantagens no uso de mulas como receptoras de embriões. Revista Brasileira de Reprodução Animal, Belo Horizonte, v.39, n.1, p.220-222, jan./mar. 2015. Disponível em www.cbra.org.br.

OUDMAN, L. 2004. A utilização de burros para transporte e lavoura. Fundação Agromisa - Série Agrodok nº.35.

Site Super Interessante: < https://super.abril.com.br/comportamento/mula-e-filha-problematica-de-egua-com-jumento/>. Acessado em: 17/02/2018.

Site de Medicina Veterinária: < https://medicinaveterinariaparatradutores.wordpress.com/2016/02/02/diferenca-cavalo-x-jumento-x-burro/>. Acessado em: 17/02/2018.

Arquivado em: Mamíferos