Realismo na Pintura

Mestre em Artes Visuais (UDESC, 2010)
Graduada em Licenciatura em Desenho e Plástica (UFSM, 2008)

O termo “realismo” geralmente é usado para designar desenhos, esculturas e pinturas que tenham uma representação objetiva da realidade, ou seja, uma forma de reproduzir a realidade tal como ela é. No entanto o termo realismo no âmbito das artes visuais diz respeito ao princípio estético que surgiu na segunda metade do século XIX, na França em reação ao Romantismo.

Entre 1850 a 1890 o Realismo espalhou-se pelo Europa e outros continentes tanto nas artes visuais quanto na literatura. Diferentemente do tradicionalismo do Romantismo e do Neoclassicismo, o Realismo teve influência das transformações sociais ocorridas na política e na ciência, onde procurou incorporar o progresso científico da época, bem como trazer reflexões acerca da grande desigualdade social, mas acima de tudo foi uma forma de superar as tradições românticas e clássicas.

O grande objetivo dos pintores realistas era retratar a realidade do povo de maneira concreta e não uma forma ideal como nos movimentos anteriores. No Romantismo era valorizado nas pinturas o que se sentia e se idealizava, já no Realismo se valorizava o que realmente era e o homem não ocupava mais o centro das narrativas. Entre os temas mais desejados estão à paisagem e os retratos. As cores eram sóbrias e a pincelada era livre, o que resultava numa representação nítida da realidade que os cercava.

Entre os pintores Realistas se destacam Édouard Manet, Gustave Courbet , Honoré Daumier, Jean-Baptiste Camille Corot e Jean-François Millet.

Gustave Courbet foi a figura central do movimento Realista, por volta de 1848 chega a conclusão que a ênfase no movimento Romântico era apenas uma fuga da realidade. Um dos marcos iniciais do movimento foi sua obra “Enterro de Ornans”, de 1849. Outra obra de grande repercussão do artista é “Os quebradores de pedras”, um óleo sobre tela, também de 1849. Após avistar dois homens trabalhando numa estrada, um homem bastante jovem e outro mais velho, Courbet pergunta a eles se poderiam posar para o artista em seu ateliê. O artista representou a cena em tamanho natural, de modo prosaico e sem sentimentalismos, deixando evidente a diferença de idade entre os dois.

Obra "Enterro de Ornans", de Gustave Courbet (1849).

Obra "Enterro de Ornans", de Gustave Courbet (1849).

Expressões realistas também são sentidas no Brasil, manifestadas em paisagistas como Georg Grimm (1846-1887), Modesto Brocos (1852-1936), Benedito Calixto (1853-1927), Castagneto (1851-1900), Clóvis Graciano (1907-1988) e outros. Também é possível pensar numa pintura com base em fundamentos Realistas nas obras de Almeida Junior (1850-1899) com suas representações dos costumes do interior paulistas.

Referências:
Realismo. Disponível em: < http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo3639/realismo >

JANSON, H. W e JANSON, Anthony F. Iniciação à história da arte, 2ªed. São Paulo, Martins, 1996.

Arquivado em: Pintura