Família Rubiaceae

Rubiaceae é uma família cosmopolita com preferência por regiões tropicais e é de grande repercussão para a sociedade, pois o tão conhecido café é incluído neste grupo. Rubiaceae abrange cerca de 650 gêneros e aproximadamente 13.000 espécies, com estes números expressivos fica fácil entender porque está entre as cinco maiores famílias de angiospermas. Atualmente é dividida em três subfamílias: Cinchonoideae, Rubioideae e Guettardoideae.

Família Rubiaceae
Família Rubiaceae
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Gentianales

Na natureza podem ser encontrados sob a forma de árvores, arbustos, lianas, menos comumente ervas.  Raramente são epífitas ou aquáticas. Tem como características morfológicas as folhas simples, inteiras e com nervura peninérvea, que se posicionam opostas ou verticiladas. Mas o que de fato marca esta família são as estípulas interpecioladas, o que é considerado um elemento diferenciador taxonômico.

As inflorescências podem ser cimosas ou racemosas, normalmente também podem ser congestas. Bem raramente serão solitárias. As flores de Rubiaceae são, em sua maioria, bissexuais, mas podem ser esporadicamente unissexuais. São flores exuberantes, viçosas e vistosas, possuem de três a seis pétalas e o ovário é ínfero. Os estames estão aderidos às pétalas sendo, portanto, epipétalos. É comum ocorrer um processo natural que impede a autofecundação, tendo como resultado dois ou três tipos diferentes de flores, denominado heterostilia. A antera possui uma abertura por onde o pólen é liberado, esta abertura surge através de uma fenda longitudinal em cada teca, à este tipo de antera denominamos “antera rimosa”. O gineceu pode ter de dois a cinco lóculos que podem ser uni ou pluriovulados e a placentação deve ser axilar ou parietal.

O fruto pode ser drupa, baga, esquizocárpico ou cápsula, com endosperma carnoso, generoso, em abundancia e bastante oleoso (quase nunca será encontrado em pequena quantidade ou mesmo ausente).  As sementes são livres.

A polinização é feita com o auxilio dos insetos, aves e morcegos, enquanto que a dispersão das sementes aladas é feita principalmente pelo vento e das sementes simples principalmente por animais eventuais.

Rubiaceae tem importância econômica expressiva graças a algumas espécies. Algumas delas do gênero Coffea, dispensa detalhamento por simplesmente ser uma das bebidas mais consumidas em todo mundo, o café. Já a espécie Psycothria viridis é muito difundida entre os indígenas e os adeptos do movimento religioso Santo Daime, pois quando é utilizada em associação com o cipó malpighiáceo Banisteriopsis caapi, obtém-se uma bebida conhecida como ayahuasca.

Essa bebida é um alucinógeno consumido em rituais praticados por estas pessoas. Há ainda o jenipapo, com o qual se faz doces, compotas e licores, ou ainda consumido sob a forma de fruto fresco. Rubiaceae também tem espécies que fornecem madeira para a movelaria, construção civil, entre outras utilidades econômicas. Não se pode esquecer das lindas gardênias, muito utilizadas como plantas ornamentais em projetos paisagísticos e uma infinidade de outras tantas espécies medicinais.

Bibliografia:
http://www.freewebs.com/rapinibot/embriofitas/parte9.pdf
http://pt.wikipedia.org/wiki/Rubiaceae
http://www.meemelink.com/prints%20pages/24060.rubiaceae%20-%20cinchona%20calisaya.htm