Plantas venenosas

Mestrado em Ciências Biológicas (INPA, 2015)
Graduação em Ciências Biológicas (UFAC, 2013)

Plantas venenosas são todos os vegetais que, através da inalação, do contato ou ingestão podem prejudicar a saúde, tanto do homem quanto de animais, podendo levar a morte. As plantas venenosas contém toxinas.

Trombeta (Datura sp.) é uma planta venenosa. Foto: NAPA / Shutterstock.com

Plantas tóxicas (venenosas) apresentam em sua bioquímica substâncias que causam reações adversas. Princípios ativos ou componentes químicos como os alcalóides, glicosídeos, cardioativos, glicosídeos cianogênicos, taninos, saponinas, oxalato de cálcio e toxialbuminas são substâncias que causam sintomas tanto nos seres humanos quanto nos animais. Os acalóides pirrolizidinicos (sinfitina e equimidina) possuem princípios tóxicos, que mesmo após anos ter ingerido alguma dose podem provocar cirrose hepática ou câncer no fígado. A ingestão pode afetar o sistema circulatório, gastro-intestinal e nervoso central. Após o contato com as mucosas, a vítima pode apresentar sinais de colapso circulatório, taquicardia ou queda da pressão arterial, sudorese, cianose e fraqueza. O atendimento especializado deve ser urgente pois algumas plantas contém doses elevadas de toxinas que podem matar rapidamente.

As plantas que causam envenenamento não estão restritas a algum tipo de ambiente na natureza. Elas crescem nos campos e nos jardins das casas, também podem ser silvestres, exóticas, ornamentais ou cultivadas. Grande parte das plantas ornamentais são consideradas espécies tóxicas, tanto para humanos quanto para os animais. As plantas ornamentais são comuns no ambiente doméstico familiar e podem apresentar riscos de envenenamento para os mais vulneráveis como as crianças e os animais domésticos. Os animais podem ter uma tolerância maior ao veneno. As crianças devem ser ensinadas a nunca colocar na boca, flores, caules, cascas, nozes ou sementes de qualquer planta correndo o risco de seres envenenadas.

As plantas podem apresentar diferentes níveis de toxicidade em suas partes. Dependendo da via a ser utilizada, uma parte da planta pode ser tóxica e outra parte da mesma planta pode causar efeitos benéficos à saúde. São indispensáveis estudos que verifiquem a posologia, parte da planta e via que pode causar intoxicação. O confrei (Symphytum officinale) é útil em processos de cicatrização, no entanto é tóxica se ingerida. Seu uso para ingestão está proibido pelo Ministério da Saúde no Brasil e em outros países também. Os principais efeitos causados pelo uso oral estão relacionados a doenças hepáticas.

No ano de 2010, no Brasil, o Sistema Nacional de Informações Tóxico Farmacológicas (SINITOX), registrou 1.132 casos de intoxicação por plantas. Alguns exemplos de espécies de interesse toxicológico: dama-da-noite (Cestrum nocturnum), embira (Daphnopsis sp.), comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia sp.), bico-de-papagaio (Euphorbia pucherrima), mandioquinha-brava (Manihot grahamii), papoula (Papaver sp.), boldo (Plectranthus barbatus), confrei (Symphytum officinale), copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica), erva-de-são-cristóvão (Actaea pachypoda). A planta ipomeia (Ipomoea asarifolia) causa sinais nervosos em ovinos, caprinos e bovinos. A espécie Aspidosperma pyrifolium é abortiva para caprinos.

Comigo-ninguém-pode. Foto: jeffy11390 / Shutterstock.com

Plantas venenosas podem intoxicar humanos de maneira indireta. Por exemplo, a planta abundância (Ageratina adenophora) é nativa da América do Norte. Possuem uma alta concentração de tremetol, uma toxina mortífera que mata indiretamente. Quando essa planta é comida pelo gado, a toxina é absorvida no leite e na carne. Os seres humanos podem se intoxicar ao se alimentarem da carne ou do leite do animal que se alimentou desta planta. A toxina entra no corpo e a intoxicação gera a “doença do leite” que é letal a saúde humana.

A planta conhecida como trombeta (Datura spp.) contém espécies nativas das regiões tropicais da América do Sul. São mais de uma espécie em seu gênero botânico e são procuradas para a ingestão de seu chá (é enteógena), por ele proporcionar experiências transcendentais. Todas as partes da planta são tóxicas e os níveis de toxicidade variam. No entanto, se administrada a dose correta as pessoas procuram a planta no intuito da experiência psicodélica. Não conhecendo a planta e se utilizando sem a correta dose as pessoas podem chegar a morrer de overdose.

Datura stramonium. Foto: Melinda Fawver / Shutterstock.com

Referências bibliográficas:

https://hypescience.com/10-plantas-que-podem-matar-voce/

http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/virtual%20tour/hipertextos/up2/plantas-toxicas.htm

Mendieta, M. C. et al. (2014). Plantas tóxicas: importância do conhecimento para realização da educação em saúde. Rev enferm UFPE on line., Recife, 8(3):680-6, mar.