Pseudofrutos

Doutorado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente (Instituto de Botânica de São Paulo, 2017)
Mestrado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente (Instituto de Botânica de São Paulo, 2012)
Graduação em Biologia (UNITAU, 2006)

_O fruto se origina a partir do ovário maduro, e no seu interior geralmente estão localizadas as sementes. Os frutos são componentes típicos de angiospermas, exercendo um grande papel no ciclo reprodutivo, já que protegem as sementes e participam da dispersão. Entretanto, algumas espécies possuem estruturas com características e funções semelhantes aos frutos, porém não são originadas do ovário, sendo por isso denominadas pseudofrutos, ou “falsos frutos”. Os pseudofrutos podem se originar do pedicelo, que é o eixo de cada flor de uma inflorescência, do hipanto, uma estrutura geralmente derivada do receptáculo floral, ou mesmo de outras partes acessórias. O termo “fruto acessório” também é utilizado para se referir aos pseudofrutos, que podem ser classificados em simples, agregados e múltiplos.

Os pseudofrutos do tipo simples podem ter sua parte suculenta proveniente do receptáculo floral, como no caso da maçã e da pera, ou do pedúnculo floral, como para o caju. Na maçã, o fruto verdadeiro localiza-se no interior da polpa, enquanto que para o caju, a estrutura conhecida como castanha-de-caju é que corresponde ao fruto, sendo do tipo drupa coriácea.

Figura 1. Caju é um pseudofruto. A castanha-de-caju é o fruto verdadeiro. Foto: luis2499 / Shutterstock.com

Os pseudofrutos do tipo agregados ou compostos, são provenientes do desenvolvimento do receptáculo de uma única flor, com muitos ovários. As partes individuais desses frutos são conhecidas como frutículos. Como exemplo, pode-se citar o morango, no qual a parte vermelha carnosa corresponde ao receptáculo floral concrescido, sendo os frutos verdadeiros as pequenas estruturas castanhas que estão localizadas na superfície. Nesse caso, os frutos são do tipo aquênio, apresentando uma única semente que não se encontra aderida a parede do fruto (Figura 2).

Os pseudofrutos do tipo múltiplo ou infrutescências consistem no desenvolvimento dos ovários de mais de uma flor de uma inflorescência. Os frutos originados de cada uma das flores fundem-se e formam uma única estrutura em torno de um eixo. Como exemplo desse tipo de fruto, podemos citar a amora, o abacaxi, a jaca, o figo e a fruta-pão.

Figura 2. O morango é um pseudofruto do tipo agregado, sendo que a parte carnosa e comestível corresponde ao receptáculo floral e os pontos castanhos na superfície (setas) são os frutos verdadeiros. Foto: Tim UR / Shutterstock.com

Referências bibliográficas:

Gonçalves, E.G. & Lorenzi, H. 2007. Morfologia vegetal – organografia e dicionário ilustrado de morfologia das plantas vasculares. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 416 p.

Raven, P.; Evert, R.F. & Eichhorn, S.E. 2007. Biologia Vegetal. 7ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 830 p.