O léxico da Língua Portuguesa

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

Léxico é o conjunto de palavras de uma língua. O léxico da Língua Portuguesa corresponde ao conjunto de todas as palavras disponíveis a seus usuários para que interajam verbalmente, seja por meio da fala ou da escrita.

Existem milhares de línguas no mundo, muitas já extintas, outras em extinção, outras em uso e em constante processo de aquisição ou ampliação lexicais. Assim como a Língua Portuguesa, muitas línguas originam-se de outras línguas e cada qual possui um repertório lexical extenso e diversificado, os quais podem ser ampliados a partir de diversos processos como a inserção de novas gírias, regionalismos, de neologismos, estrangeirismos.

Como as línguas vivas têm caráter flexível, é possível que novas palavras sejam incorporadas a seu léxico. Isso porque a língua, enquanto um patrimônio sócio-histórico-cultural, admite a incorporação de novas palavras a seu léxico quando seu uso é frequente e/ou essencial a por boa parte da comunidade falante, de seus usuários. Quando isso acontece, esta nova palavra passa a compor o Dicionário, que é o suporte no qual são escritos e descritos todo o repertório lexical de uma língua.

Formação do Léxico da Língua Portuguesa

O léxico da Língua Portuguesa é bastante diversificado, já que sua formação conta com registros de palavras advindas de sua raiz, o Latim, da criação de novas palavras por seus usuários, das formações vernáculas e da importação de outras línguas estrangeiras.

Palavras derivadas do Latim

Muitas palavras de nosso léxico têm origem da língua latina, observe:

Latim Português
Persona Pessoa
Corona Coroa
Perfectu Perfeito
Boa Boa
Malu Mau
Lupo Lobo

Algumas palavras mantêm somente o radical, outras mantêm a mesma grafia.

Estrangeirismo ou Empréstimo Lexical

Existem muitas palavras de outras línguas que foram incorporadas ao léxico da língua portuguesa em função da inexistência de outra palavra com sentido semelhante ou pela necessidade dos usuários, sobretudo em função das transformações tecnológicas e sociais.

Exemplos:

Tupi-Guarani Inglês Árabe Africana
xará show algodão angu
cupim delete alface cachimbo
arapuca shopping xaropo berimbau
mandioca baby alicate moleque
pipoca repórter álcool batuque

 

Germânica Asiática Grega Ibérica
trágua bambu farol bezerro
guerra berinjela telefone sapo
roubar azul microscópio cama
escarnecer chá telepatia abóbora

Neologismo

Neologismo é a formação de uma nova palavra. Esta formação pode ocorrer de diversas formas, como a vernácula, que consiste na ampliação de uma palavra já existente mediante a inserção de afixos, ou o surgimento de uma palavra totalmente nova. Os neologismos em uma língua podem ser:

Momentâneos

Aparece no vocabulário dos usuários de maneira brusca, durante os diálogos cotidianos, informais. Com o tempo, tornam-se obsoletos e inutilizados. A exemplo, as gírias variavelmente utilizadas por falantes de determinados grupos regionais.

Transitórios

São utilizados por determinados grupos e depois espalham-se a outras comunidades linguísticas, podendo ou não ser incorporado ao léxico da língua, como por exemplo, a palavra “mensalão”.

Permanentes

São as palavras que, por serem relevantes e utilizadas por longo período, de maneira frequente por um grande número de falantes, incorporam-se ao léxico da língua. Exemplos: deletar, shopping.

Formação de Neologismos

Derivação

A Derivação consiste na formação de novas palavras a partir da união de afixos às palavras já existentes. Existem diversas formas de Derivações: Prefixal (infeliz), Sufixal (felizmente), Prefixal e Sufixal (infelizmente), Parassintética (tarde – entardecer), Regressiva (dançar – dança), Imprópria (O jantar está servido. <substantivo> / As crianças vão jantar. <verbo>.)

Composição

A Composição consiste na formação de novas palavras a partir da junção de duas ou mais palavras já existentes. As palavras podem ser compostas por justaposição (beija-flor) e por aglutinação (planalto <plano+alto>).

Arquivado em: Português