Pronomes Pessoais do caso reto

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

Ouça este artigo:

Os Pronomes são palavras da Língua Portuguesa responsáveis por identificar os participantes do discurso, os seres, eventos ou situações aos quais o discurso faz referência. Trata-se de uma extensa classe de palavras variáveis em gênero, número e pessoa, as quais desempenham funções equivalentes aos substantivos e aos adjetivos.

São os Pronomes que indicam no discurso o falante, o ouvinte ou a pessoa de quem se fala. Outra importante característica dos Pronomes é sua atuação como elemento de coesão textual, já que exercem função referencial e assim evitam a repetição de palavras no interior dos enunciados.

Tipos de Pronomes

Existem seis tipos de Pronomes na Língua Portuguesa:

Neste artigo abordamos mais detalhadamente os aspectos relacionados aos Pronomes Pessoais do caso reto.

Pronomes Pessoais do caso reto

Como você já sabe, os Pronomes podem sofrer variações na forma que assumem no enunciado dependendo da função sintática que exercem. Quando desempenham a função de sujeito ou predicativo do sujeito da oração, os Pronomes Pessoais assumem formas as quais são chamadas de retas ou do caso reto.

Os Pronomes Pessoais do caso reto são ordenados em 1ª , 2ª e 3ª pessoas do singular e 1ª , 2ª e 3ª pessoas do plural. Veja:

  • EU
  • TU
  • ELE / ELA
  • NÓS
  • VÓS
  • ELES / ELAS

Os Pronomes Pessoais do caso reto podem desempenhar as seguintes funções:

Observe de que maneira os Pronomes Pessoais do caso reto marcam posições nos enunciados:

  • Eu (falante) comprei a cartolina que você (ouvinte) me pediu.

Perceba que no enunciado aparecem de maneira explícita duas pessoas do discurso: o falanteEu” (primeira pessoa do singular) e o ouvintevocê (segunda pessoa do singular).

  • Ele (de quem se fala) saiu para trabalhar.

Note que o pronome “Ele” (terceira pessoa do singular) revela a pessoa de quem se fala, já que não é o falante ou ouvinte.

  • Quero comprar travesseiros novos para vocês.

Nesse enunciado é possível observar que a pessoa gramatical do falante aparece de maneira implícita no Verbo “Quero” (eu - primeira pessoa do singular) e de quem se fala aparece de maneira explícita “vocês” (terceira pessoa do plural).

Observe em outra oração que a pessoa gramatical está diretamente relacionada ao Sujeito, já que é possível identificá-lo pela desinência expressa pelo Verbo:

  • Comprei uma bicicleta nova. (Quem comprou uma bicicleta nova?)

Quando perguntamos ao Verbo sobre quem realiza a ação, sua desinência indica a primeira pessoa do discurso (Eu), o falante partícipe da ação ao mesmo tempo (sujeito).

Relações de concordância entre as pessoas gramaticais

a) No discurso em primeira pessoa, o Verbo apresenta desinências que concordam com a pessoa que fala (falante). Assim, a primeira pessoa gramatical relaciona-se com a primeira pessoa do discurso, indicada pelos Pronomes Pessoais eu (singular) e nós (plural).

Exemplos:

  • Eu acordo muito cedo.
  • Nós acordamos muito cedo.

b) No discurso em segunda pessoa, o Verbo apresenta desinências que concordam com a pessoa com que quem se fala (ouvinte). Assim, a segunda pessoa gramatical relaciona-se com a segunda pessoa do discurso, indicada pelos Pronomes Pessoais tu, você (singular) e vós, vocês (plural).

Exemplos:

  • Tu falas muito.
  • Vós falais muito.

c) No discurso em terceira pessoa, o Verbo apresenta desinências que concordam com a pessoa de quem se fala. Assim, a terceira pessoa gramatical relaciona-se com a terceira pessoa do discurso, indicada pelos Pronomes Pessoais ele / ela (singular) e eles / elas (plural).

Exemplos:

  • Ela fala muito.
  • Elas falam muito.

Aprenda mais sobre os Pronomes da Língua Portuguesa estudando sobre os Pronomes Substantivos.

Arquivado em: Português