Período Mesolítico

Mestre em História Comparada (UFRJ, 2020)
Bacharel em História (UFRJ, 2018)

Ouça este artigo:

O Mesolítico é considerado o tempo de transição entre os períodos Paleolítico e Neolítico, se estendendo de 13 mil a 8 mil a.C. e sendo marcado pelas alterações no clima e nas melhorias de vida dos seres humanos. É compreendido por uma época com profundas mudanças nas formas de subsistência humana e também conhecido como Idade Média da Pedra.

No que diz respeito à cronologia, existe um debate entre especialistas sobre as datações utilizadas na pré-história. Pesquisadores sugerem que o Mesolítico durou de 13 mil a 8 mil a.C., enquanto outros propõem que seja delimitado entre 10 mil a 8 mil anos. Outro fator que é colocado em debate é o de que diferentes regiões do planeta não passaram por essa fase considerada como de grande transição na história, indo direto do Paleolítico para o Neolítico.

Características do Mesolítico

A transformação no meio ambiente é considerada por cientistas como a principal característica desse período, uma vez que as mudanças foram muito profundas a níveis geológicos. Por ser uma época que surge logo após a Era Glacial, foi nessa fase que ocorreu o nascimento das florestas, dos desertos e das estepes, fazendo com que alguns grupos humanos desenvolvessem o sedentarismo sazonal em regiões da Europa, por exemplo.

Essa forma de nomadismo se dava por conta da alimentação. Os grupos ficavam por um tempo em determinado lugar até que a quantidade de alimento acabava, os forçando a buscar outras áreas que fornecessem alimento. A segurança também era um fator importante e que motivava alguns deslocamentos, uma vez havia o risco de que animais selvagens atacassem as aldeias.

As mudanças climáticas ocorridas no Mesolítico trouxeram as primeiras plantações agrícolas, uma vez que o terreno passou a ser fértil para o cultivo com o crescimento de florestas e aberturas de rios. Ao se estabelecerem, os grupos humanos passaram a desenvolver melhores ferramentas se comparado com as lanças e outros objetos cortantes sofisticados.

Expressões visuais na Pré-história

No final do período pré-histórico anterior ao Mesolítico, o Paleolítico Superior, novas formas de representações visuais surgiram. Figuras de animais, antropomórficas e pequenas figuras humanas eram esculpidas.

Escultura encontrada em sítio arqueológico de Lepenski Vir (Sérvia), de quase 9.000 anos atrás. Foto: Petar Milošević / Wikimedia Commons / CC-BY-SA 4.0

É identificada também neste período uma arte rupestre mais sofisticada, com cenas de caça, de rituais e embates retratadas em pinturas feitas com pigmentos avermelhados ou pretos, feitos com frutas e madeira queimada. Nesses desenhos, se observa até mesmo imagens que remetem a encontros religiosos e com personagens em posições de poder.

Para alguns arqueólogos, a mudança para o período Neolítico começou enquanto ainda vigorava o período Mesolítico. O surgimento da acumulação de bens e dos postos de chefia em agrupamentos, posteriormente transformou os grupos humanos em sociedades hierárquicas, com divisões de tarefas e com tomadas de decisões passando pela figura do líder que estava no poder naquele momento.

A questão da caça trouxe, naturalmente, a domesticação de alguns animais, que auxiliavam nas buscas por alimentos. Por esses motivos, é considerado por muitos pesquisadores como o intervalo de tempo com mudanças mais significativas para a história da humanidade do que as outras fases pré-históricas.

Referências:

ZILHÃO, João. A passagem do Mesolítico ao Neolítico na costa do Alentejo. Revista Portuguesa de Arqueologia, v. 1, n. 1, p. 27-44, 1998.

Arquivado em: Pré-História