Profissões em Direito

Advogada (OAB/MG 181.411)

Publicado em 08/08/2022
Ouça este artigo:

É importante primeiramente destacar que a faculdade de Direito dura em torno de cinco anos e possui na grade curricular as matérias como: direito administrativo, constitucional, previdenciário, civil, penal, trabalhista, dentre tantas outras a depender dos critérios adotados pela instituição de ensino, sendo temas voltados ao estudo das leis, jurisprudências, doutrinas do país para que o estudante possa se graduar na profissão de bacharel em Direito.

O bacharel em Direito, logo, é aquele que possui apenas a formação em Direito e que não possui habilitação para desempenhar a carreira da advocacia, portanto não possui a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Foto: sabthai / Shutterstock.com

Mas existe várias profissões que um bacharel pode exercer:

I) Área acadêmica: seja pelo motivo de não ter interesse em atuar na área da advocacia ou ainda na espera do resultado do exame da ordem, o bacharel pode se dedicar a vida acadêmica para ser professor em universidades, faculdades, cursinhos preparatórios, possuindo a qualificação de:

  •  Especialista: no qual o profissional possui pós-graduação lato sensu em área específica escolhida por ele.
  •  Mestre: goza de pós-graduação stricto sensu, no qual se dedica profundamente em pesquisas e análises.
  •  Doutor: pós-graduado em que direcionou os seus estudos em teses e pesquisas inovadoras.

II) Analista jurídico: opera em escritórios jurídicos, gabinetes de juízes ou desembargadores ou empresas com o mesmo seguimento, podendo a entrada ser por meio de concurso ou contratação. Auxilia na área jurídica podendo atender clientes, captar informações, colher documentos, realizar diligências em fóruns, cartórios, dentre outras atividades afins.

III) Delegado: deve possuir comprovada atuação de três anos no exercício jurídico ou na área policial e depende de aprovação em concurso público estadual ou federal, mas independe de possuir a carteira da OAB para a sua prática.

IV) Escrivão: também deve possuir aprovação em concurso público e pode trabalhar tanto na polícia civil tanto na polícia federal. Auxilia nas tarefas da delegacia, lavrando termos, mandatos e acompanha os inquéritos policiais.

V) Correspondente jurídico: apesar de muitos advogados atuarem nesta área os bacharéis também podem realizar se observado a sua inscrição na OAB como estagiário. Operam ajudando outros advogados como por exemplo: fazer cópia, carga ou devolução de autos, obter certidões e afins.

Já para quem possui o registro na OAB pode atuar como:

  • I) Advogado: este profissional deve possuir a formação no curso superior de Direito e ainda ser obrigatoriamente aprovado no exame da ordem para sua licença na atuação na advocacia. Pode operar em várias áreas do Direito, podendo sua atuação ser mais ampla ou especializada. É possível ser sócio ou associado de escritórios ou contratado de empresas para atuação jurídica.
  • II) Juiz: deve ser aprovado em concurso público de competência estadual ou federal e possuir comprovada prática jurídica de no mínimo três anos. É o responsável pelo julgamento de processos judiciais. Sendo um cargo muito cobiçado pelos operadores jurídicos por sua alta remuneração.
  • III) Defensor Público: possui um papel de advogado, mas opera na defensoria das partes menos favorecidas. Necessita ser aprovado em concurso público e comprovar dois anos de prática forense, conforme preceitua o art. 26 da Lei Complementar nº 80/94.
  • IV) Promotor de justiça: opera como defensor dos interesses da sociedade. É membro do Ministério Público e é preciso deferimento em concurso público e efetiva prática jurídica de no mínimo três anos.
  • V) Procurador: procede na defesa dos interesses dos municípios, estados ou da União a depender do órgão responsável pelo concurso público. Logo, deve ser aprovado nas provas e títulos e atestar no mínimo dois anos de atividade forense.
  • IV) Advocacia- Geral da União (AGU): defende os interesses da União e órgãos federias. Deve possuir experiência de no mínimo dois anos de prática jurídica e aprovação em concurso público composto por provas e títulos.

Nota-se que o curso superior na área de Direito tem grande procura pelos vestibulandos uma vez que é atrativo pelo leque de possibilidades de profissões e oportunidades em concurso público, podendo atuar nas áreas jurídicas, policiais e docentes.

Leia também:

Arquivado em: Direito, Profissões