Teoria do petróleo abiótico

Especialista (MBA) em Gestão da Qualidade Total (UFF, 2013)
Graduada em Química, Tecnóloga (Unigranrio, 2011)
Graduada em Ciências Biológicas (Unigranrio, 2006)

O petróleo é uma mistura de vários hidrocarbonetos e gás metano, que podem ser extraídos de rochas através da perfuração de poços. Os hidrocarbonetos são formados basicamente de átomos de carbono e hidrogênio. Existem duas teorias que tentam explicar a sua formação. A teoria da abiogênese e a teoria da biogênese.

A teoria da biogênese proposta por Mikhail Lomonossov, em 1757, é baseada na origem do petróleo a partir de restos de animais e vegetais mortos. A matéria orgânica se acumulou durante milhões de anos e dispostos a centenas de metros de profundidade, em condições ambientais extremas, resultou na origem do petróleo.

A teoria do petróleo abiótico é fundamentada na origem inorgânica do petróleo, onde sugere o seu desenvolvimento na parte inferior do manto terrestre muito tempo antes da existência da vida na terra. Essa teoria se baseia na hipótese de reações ocorridas entre elementos químicos amplamente encontrados no Universo. Um exemplo, é a presença de metano na atmosfera de outros planetas como Júpiter, luas e meteoritos, todos encontrados no sistema solar.

No século XIX, o químico francês Marcellin Berthelot e o químico russo Dmitri Mendeleev indicaram que seria possível a teoria da abiogênese, baseados na existência de grande quantidade de metano presente no interior da crosta terrestre, através de condições favoráveis para que ocorra as reações químicas, poderia ser transformado em hidrocarbonetos.

A presença de depósitos de petróleo em estruturas de grande escala, em vez de depósitos sedimentares irregulares, também são evidências a favor da abiogênese. Outrossim, associações de gás hélio com hidrocarbonetos e infiltrações profundas do óleo. Cientistas alegam que o processo pode ocorrer através de reações químicas naturais, sem a necessidade de material orgânico.

As evidências de material biológico encontrado no petróleo, de acordo com a teoria inorgânica, podem ser explicadas pela presença de microrganismos que degradam hidrocarbonetos, que com sua morte passariam a deixar fragmentos da sua existência.

A versão mais atual da teoria da abiogênese relata que os processos de formação do petróleo ocorrem no núcleo da terra e o petróleo formado migrou para rochas porosas através de rachaduras. Caso a afirmativa seja verdadeira, o petróleo poderia ser considerado um material renovável, porém com formação geológica. Isso iria contra toda a teoria mais aceita na atualidade, a teoria da biogênese.

Outra hipótese para a explicação da teoria inorgânica é através da Síntese de Fisher-Tropsch. As reações de hidrólise ocorreriam formando hidrogênio que reagiriam com dióxido de carbono e metano, formando hidrocarbonetos.

Alguns cientistas contestam a teoria da biogênese com base na formação geológica do petróleo. Como são necessários milhões de anos para a sua formação, segundo estudiosos pode haver a possibilidade de formação do óleo orgânico e inorgânico. Dessa forma, deixando incógnitas perante a sua origem.

Na realidade, apesar da tentativa de se buscar evidências da formação do petróleo, não é possível afirmar com exatidão a sua origem. Deve-se ter grande entendimento da geologia das áreas favoráveis, bem como entender a real natureza do petróleo e do gás natural. Contudo, a teoria da biogênese é a mais aceita atualmente.

Bibliografia:

RUBIÃO, Pedro Paulo Tavares. A utilização do gás natural no Brasil. Universidade Candido Mendes, Rio de Janeiro, 2012.

http://blog.nus.edu.sg/mohan/2012/11/02/organic-inorganic-theory-about-petroleum-formation/

http://www.petroleum.co.uk/abiotic-oil-formation

https://docslide.com.br/documents/origem-inorganica-do-petroleo-55cb7cd7b1721.html

Arquivado em: Química