Praça da Sé

A Praça da Sé localiza-se no subdistrito da Sé, bairro homônimo; e na região central do município de São Paulo. Nela encontra-se o Marco Zero da cidade, um mini obelisco considerado o centro geográfico do território. A partir deste marco, são medidas as distâncias das rodovias que passam por São Paulo e são definidas as numerações das vias da cidade.

Símbolo maior e mais tradicional do Centro Histórico da cidade, a Praça da Sé é uma referência da capital paulista e nela ocorreram eventos que mudaram a história do Brasil. Um exemplo de manifestação que ocorreu na região foi o Diretas Já, movimento civil que reivindicava eleições presidenciais diretas no País e ocorreu entre os anos de 1983 e 1984, após o final da Ditadura Militar. O nome da praça tem origem na ocorrência de seu desenvolvimento em frente à Sé da capital de São Paulo.

Antigamente, a praça era chamada de “Largo da Sé” e seu desenvolvimento ocorreu através da construção da Igreja Matriz e de várias edificações em seu entorno na época da colonização. Essa Igreja seria substituída, a partir do século XX, pela Catedral Metropolitana de São Paulo, após ampla reforma que tornou seu estilo neogótico, como é vista atualmente no local.

Durante os anos 70, uma equipe de profissionais da Prefeitura de São Paulo, sob liderança de José Eduardo de Assis Lefèvre, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), realizou um projeto paisagístico que se reflete na Praça da Sé até hoje. Isso ocorreu devido às obras do Metrô de São Paulo naquela região. Houve a necessidade da demolição de todo o quarteirão e a paisagística teve que ser repensada.

Influenciados por projetos realizados na Costa Oeste dos Estados Unidos, encabeçados pelo paisagista Lawrence Halprin, a equipe de arquitetos utilizou, na reforma da Praça da Sé, conceitos como volumes prismáticos de terra, espelhos d’água, jogo de patamares, entre outros. Tais elementos surgem de forma integral no projeto da praça. Porém, a utilização de espelhos d’água gerou críticas por incentivar que os mendigos permanecessem no local.

No ano de 2006, a praça sofreu uma reforma quase completa e foi entregue pelo então prefeito Gilberto Kassab na data de aniversário da cidade, 25 de janeiro. As principais características desta reforma foram a colocação de passarelas sobre os espelhos d’água, aumento da integração entre os passantes e as esculturas locais e reforma dos canteiros e das caixas de terra.

Fontes:
http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/o-que-visitar/pontos-turisticos/8-catedral-da-se
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pra%C3%A7a_da_S%C3%A9_(S%C3%A3o_Paulo)
http://www.sampa.art.br/cidade/pracase/

Arquivado em: São Paulo