Vacina BCG

Mestre em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas (FIOCRUZ, 2011)
Graduada em Biologia (UGF-RJ, 1993)

A vacina BCG é uma vacina de dose única e obrigatória que previne a tuberculose.

Histórico

Em 1908, isolou-se uma cepa do bacilo da tuberculose para a produção de culturas vivas atenuadas (enfraquecidas) para serem utilizadas como vacinas. Os cientistas responsáveis pelo isolamento foram Albert Calmette e Camille Guérin. A cepa recebeu o nome de bacilo Calmette-Guérin, de onde surgiu o nome "BCG". Em 1921 a vacina foi aplicada pela primeira vez em crianças.

Tuberculose

Doença infecciosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis (Bacilo de Koch), ou pelo Mycobacterium bovis, que causa tuberculose em bovinos. Infecta os pulmões, mas pode se disseminar por outros órgãos como ossos, rins e meninges em indivíduos imunologicamente comprometidos. Possui transmissão direta, e o doente ao tossir, falar ou espirrar, expele gotículas de saliva que são aspiradas por outro indivíduo. Os sintomas são tosse seca, emagrecimento, fraqueza, falta de apetite, ocorrendo eliminação de sangue durante a tosse em casos graves. O tratamento é longo e requer muita disciplina do paciente.

A vacina

A vacina é elaborada pela atenuação de cepas do Mycobacterium bovis. Previne as formas mais graves da doença como a tuberculose miliar e meníngea. Faz parte do Calendário de Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde. É de dose única e deve ser aplicada no recém-nascido, se possível ainda na maternidade. Caso contrário deve ser aplicada até os 04 anos, 11 meses e 29 dias da criança. É uma vacina do tipo intradérmica, significando que é aplicada entre a derme e a epiderme da pele. É aplicada no braço direito e no local fica uma pequena cicatriz.

Aplicação de vacina BCG em recém-nascido. Foto: Elena Stepanova / Shutterstock.com

Contra indicações

  • Imunocomprometidos que apresentam sintomas.
  • Recém-nascidos cujas mães que tomaram medicamentos que podem causar imunodepressão no feto durante a gestação.
  • Prematuros que possuam menos de 2 kg de peso.
  • Hipersensibilidade aos componentes da vacina.

Cuidados após a aplicação

Na maior parte das vezes, há uma reação no local da aplicação, seguida de formação de uma cicatriz, ocorrência normal para esta vacina. Portanto não se deve colocar medicamentos ou curativos no local.

Reações

Comuns: aparecimento no local da aplicação de uma cicatriz com até 1 cm de diâmetro de cor avermelhada que evolui para uma pequena úlcera que produz secreção até a sua total cicatrização. Podem ocorrer também febre e calafrios, mal-estar e dores musculares, úlceras maiores que 1 cm ou que demoram mais tempo a cicatrizar. Há relatos também de gânglios aumentados e abscessos na pele e nas axilas.

Incomuns: reações alérgicas, erupções cutâneas, dor nas articulações, disseminação do bacilo da vacina pelo corpo podendo causar lesões em diferentes órgãos.

Raras: sangue na urina, febre acima de 39°C, contração da bexiga, gânglios ou abscessos na pele e axilas. Nestes casos, é necessário procurar ajuda médica.

Prevenção

A eficácia da vacina na prevenção da tuberculose pulmonar não é 100%, mas a aplicação em massa previne das formas graves da doença como a meningite tuberculosa e a tuberculose miliar (forma disseminada). No Brasil quase não há registros das formas graves da doença. Entretanto a incidência de tuberculose pulmonar vem aumentando. Em países em que houve a suspensão da vacina, como na Suécia, houve aumento do número de casos de tuberculose em crianças.

Estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que em países onde a taxa de tuberculose é alta e ocorre a vacinação infantil, previne-se por ano a ocorrência de 40 mil novos casos da meningite tuberculosa. Por isso é importante que as crianças sejam vacinadas ao nascer.

Leia também:

Bibliografia:

CVA Centro de Vacinação de Adultos. Disponível em: http://www.cva.ufrj.br/informacao/vacinas/tb-v.html Acessado em 25/06/2020.

Vacinação. Disponível em: https://www.saude.gov.br/o-ministro/960-saude-de-a-a-z/tuberculose/11942-vacinacao-tuberculose Acessado em 25/06/2020.

Vacina BCG. Disponível em: https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-bcg Acessado em 25/06/2020.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Saúde