Think Tanks

Mestrado em Geografia (UFSC, 2015)
Graduação em Geografia (UFSC, 2012)

São conhecidos como think tanks, instituições que produzem e espalham informações relacionadas a alguns temas específicos com o objetivo de exercer influência na sociedade e na política através de determinadas ideias e estudos. A complexidade das temáticas e problemas sociais e políticos é a razão de ser dos think tanks, que trazem possíveis soluções para questões e problemáticas que exigem algum tipo de aprofundamento. A expressão costuma ser traduzida ao português como “laboratório de ideias” e o conceito pode ser compreendido, segundo matéria do site Nexo, como “organizações de pesquisas sobre políticas públicas capazes de apresentar recomendações a atores políticos”, tendo o papel de preencher certas lacunas de conhecimento e trazer importantes melhorias para a sociedade de modo geral. Imigração, questões ambientais, desigualdade social, segurança pública, saúde e economia são algumas das áreas onde há o envolvimento dessas instituições. Genericamente, as think tanks são conhecidos como organizações que realizam pesquisa sobre políticas públicas e que buscam influenciar, por meio da promoção de suas ideias, a conformação dessas políticas.

Ilustração: Jirsak / Shutterstock.com

Os policy makers ou formuladores de políticas têm necessidade de obter informações compreensíveis, confiáveis, acessíveis e úteis sobre as sociedades que estão governando, além de como as políticas em execução estão funcionando ou não, alternativas às mesmas, entre outros. Isto é, os burocratas e políticos não são capazes de, isoladamente, conhecer todas as demandas sociais existentes, possíveis soluções e o que priorizar. Deste modo, recorrem aos conselhos de diversos atores que estão ao redor, visando suprir os vazios de conhecimentos a fim de favorecer a prática de tomada de decisões. A demanda por conhecimento especializado e informações qualificadas é responsável por abrir espaço, portanto, para a existência de sujeitos e organizações com essa finalidade.

Para alguns autores, os primeiros think tanks surgiram no começo do século XX, nos Estados Unidos da América (EUA), num contexto em que governantes buscavam especialistas para auxílio no desenvolvimento de soluções reais para as instabilidades sociais e políticas provenientes da Revolução Industrial. Para outros autores, os think tanks já existiriam desde o século XIX, mas ganhariam força nos EUA apenas ao término da Segunda Guerra Mundial e durante a Guerra Fria. Temas como segurança internacional e política externa foram pesquisados por think tanks como o Rand Corporation, criado em 1948 pelo governo estadunidense com o intuito de realizar projetos no campo militar. Nos anos 1980, os processos de encerramento da Guerra Fria e globalização contribuíram para que o modelo think tank se espalhasse mundo a fora.

Think tanks atuam influenciando decisões políticas e opinião pública. Reúnem especialistas que formulam estudos sobre certos temas e publicam os resultados. Essa atuação pode ser mais técnica e isenta nas recomendações, ou mesmo assumir interesses religiosos ou ideológicos – sejam eles considerados mais liberais, conservadores ou progressistas. Atualmente, o acesso massificado à internet possibilitou que think tanks difundam suas ideias para o público geral com mais facilidade, através de sites.

Existem nos dias atuais cerca de 6.000 think tanks ao redor do mundo, e configuram-se em três tipos principais. São eles: Governamentais – voltados a temas estratégicos para o país de origem. Ideológicos ou de causa – voltados favorecer determinadas visões de mundo, como por exemplo as políticas liberais. Científicos – centros de pesquisa universitários que atuam com teorias e análise de dados para a explicação de determinados fenômenos. Cada tipo possui diferentes fontes de financiamento.

De acordo com um estudo da Universidade da Pensilvânia, o Brasil possui quinze instituições entre os think tanks mais relevantes do mundo, partindo de critérios como reputação, independência política, relevância acadêmica, entre outros. Destacam-se no campo científico a Fundação Getúlio Vargas, o Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento) e o NEV (Núcleo de Estudos da Violência). Já no campo governamental, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), que realiza estudos sobre desenvolvimento, desigualdade e renda para o governo brasileiro, é o destaque. Entre os think tanks de iniciativa da sociedade civil, são citados o Instituto Millenium e o Fórum da Liberdade, que disseminam a defesa do modelo econômico liberal.

Fontes:

HAUCK, Juliana Cristina Rosa. OS THINK TANKS BRASILEIROS E SEUS MODOS DE PRESENÇA NA CENA POLÍTICA: UM OLHAR SOBRE SUAS ESTRATÉGIAS DE DISSEMINAÇÃO DE IDEIAS E BUSCA DE INFLUÊNCIA NAS POLÍTICAS PÚBLICAS. X Encontro da Associação Brasileira de Ciência Política. Área temática: Políticas Públicas. PUC-MG. Belo Horizonte, setembro de 2016.

HAUCK, Juliana Cristina Rosa. Think tanks [manuscrito]: quem são, como atuam e qual seu panorama de ação no Brasil. Dissertação (mestrado) – Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2015.

NEXO JORNAL LTDA. O que são think tanks. E como eles influenciam a política. Publicado por: Paulo Flores – 01 Dez. 2017. Disponível em <https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/12/01/O-que-s%C3%A3o-think-tanks.-E-como-eles-influenciam-a-pol%C3%ADtica>. Acesso em: 05 Out. 2019.

Arquivado em: Sociedade