Gavião

Por Thais Pacievitch
O gavião-real ou harpia (Harpia Harpyja) é uma ave da Ordem Ciconiformes, da Família Accipitridae. O gavião-real é a maior ave do Brasil e do mundo, chegando a medir até 2,5 metros de envergadura. A fêmea é maior que o macho em tamanho e peso. Enquanto a fêmea chega a 90 cm de altura, o macho chega a 57 cm. A fêmea pode chegar aos 9 kg, enquanto o macho chega a pesar no máximo 5 kg. A cor predominante em suas penas é o cinza, e seu grande topete é a explicação para o seu nome.

Essa ave corre risco de extinção. Originalmente, o gavião-real era encontrado desde o sul do México até o norte da Argentina. Atualmente, no Brasil, é encontrado apenas na região da Selva Amazônica, e, em alguns estados, em reservas de Mata Atlântica. Vive nas margens dos rios, em montanhas e até a beira-mar, sendo necessária para cada ave uma área de aproximadamente 50 km² de extensão de floresta. É solitária a maior parte do tempo, abrindo uma exceção na época do acasalamento. O gavião-real pode atingir a altitude de 2000 metros, embora geralmente não ultrapasse os 900 metros.

De hábitos diurnos, o gavião-real tem uma visão privilegiada, com uma resolução oito vezes maior que a do ser humano. Porém, a mobilidade do olho é reduzida, por isso o gavião-real tem necessidade de virar a cabeça para visualizar seus arredores.

O gavião-real tem uma alimentação bem variada. Seu “prato” favorito são as preguiças, mais em seu cardápio encontram-se: crustáceos, moluscos, peixes, lagartos, serpentes, pássaros e mamíferos como macacos-aranha, macacos-prego, tatus, siriemas, entre outros.

A reprodução dessas aves ocorre em intervalos de 2 ou 3 anos, após a última ninhada. O ninho é construído com gravetos e ramos, nas árvores mais altas, sendo comum que as aves utilizem o mesmo ninho em várias ninhadas, realizando apenas uma pequena “reforma”. Normalmente a fêmea põe dois ovos (entre os meses de setembro e novembro), dos quais é comum apenas um filhote sobreviver. Os ovos têm cor amarela e pesam aproximadamente 124 g. O período de incubação é de, no máximo, 58 dias. Nesse período, o macho permanece nas proximidades, e por vezes, até assume o lugar da fêmea. Os filhotes são alimentados pelos pais por 2 meses.

O gavião-real está no topo da pirâmide alimentar, sendo seu predador o homem. O gavião-real pode chegar aos 40 anos.