Gavião

Graduação em Ciências Biológicas (UNIFESP, 2014)

Gavião é o nome popular dado ao grupo de aves pertencentes à familia Accipitridae. São aves de rapina com visão e audição apuradas, bico curvo e garras fortes para agarrar e capturar as presas. São semelhantes às águias e possuem uma enorme variedade de formas e tamanhos. Os gaviões são predadores ativos, atacando praticamente todos os tipos de presas por meio de técnicas de caça variadas. Ocorrem em todos os continentes, com exceção da Antártida.

Gavião. Foto: Robert L Kothenbeutel / Shutterstock.com

Os gaviões que ocorrem no Brasil podem ser divididos em quatro grupos:

  • Gaviões-planadores: inclui uma grande variedade de espécies de pequeno a médio porte que em sua maioria possui asas longas e amplas para planar. Forrageiam tanto sobrevoando a área de caça quanto aguardando a presa em um poleiro.
  • Gaviões-milanos: É o grupo das subfamílias Milvine, Pernine e Elanine. Possuem asas largas, pernas e garras mais delicadas, pois muitas de suas espécies se alimentam de insetos e de pequenos vertebrados. Costumam nidificar em colônias.
  • Açores: inclui as espécies do gênero Accipiter. Possuem asas curtas, pescoço pequeno e cauda comprida. São especializados na captura de aves, possuindo aerodinâmica adaptada à caça em meio a obstáculos, pois vivem em áreas de florestas e bosques.
  • Tartaranhões: Grupo do gênero Circus. Possuem asas e cauda longas e pernas finas. Caçam pequenos vertebrados voando em baixas alturas sobre pântanos e áreas alagadas.

Dentre as muitas espécies de gaviões, o Gavião-carijó (Rupornis magnirostris) é a predominante no Brasil, ocorrendo em todo território nacional. Também é encontrado no México e na Argentina. Pesa de 250 a 300 gramas e mede de 31 a 41 centímetros, sendo os machos menores que as fêmeas. Os adultos possuem a ponta do bico negra com a base amarelada; a cabeça e a parte superior das asas amarronzadas se tornam cinzas à medida que a ave amadurece. O peito é ferruginoso, a barriga e as pernas são brancas. Possuem duas listras negras na extremidade da cauda. Com hábitos alimentares bem generalistas, consome desde insetos até aves e lagartos. Como toda ave de rapina, participa do equilíbrio da fauna, evitando superpopulação de roedores e aves pequenas, além de eliminar indivíduos defeituosos e doentes.

Gavião-carijó (Rupornis magnirostris). Foto: Andrew M. Allport / Shutterstock.com

 

Já o Gavião-real (Harpia harpyja) é o maior gavião encontrado no Brasil, podendo atingir 105 cm de comprimento e 9 kg. Suas asas podem atingir até dois metros de envergadura. Ocorre por quase todo o Brasil e do sul do México à Bolívia e nordeste da Argentina. Alimenta-se principalmente de mamíferos arborícolas, como macacos e preguiças. É uma ave monogâmica que coloca até dois ovos com incubação de aproximadamente 56 dias. Só um filhote sobrevive.

Gavião-real (Harpia harpyja). Foto:r MarcusVDT / Shutterstock.com

Arquivado em: Aves