Vitamina A

Por Débora Carvalho Meldau
A vitamina A, também denominada retinol, é um micronutriente, lipossolúvel e uma das mais importantes. Ela é facilmente transformada no organismo humano em ácido retinóico (sua forma ativa), sendo que esta substância existe em duas principais formas: all-trans retinoic acid (ATRA, o mais importante) e 9-cis retinoic acid (9-cis RA).

Fórmula estrutural plana da Vitamina A (Retinol)

Essa vitamina possui diversas funções, no entanto, a principal está  relacionada com a visão. Além disso, participar do desenvolvimento dos ossos, possui ação protetora na pele e mucosa, possui função essencial na capacidade funcional dos órgãos do trato reprodutivo, participa do fortalecimento do sistema imunitário, está relacionada com o desenvolvimento e manutenção do tecido epitelial, contribui para o desenvolvimento normal dos dentes, para a conservação do esmalte dentário e para a manutenção do bom estado do cabelo.

A vitamina A encontrada em alimentos de origem animal, como leite, ovos, fígado e sardinha; em vegetais folhosos de coloração verde-escura, como brócolis, couve, espinafre, entre outros; em vegetais e frutos de cor amarelo-alaranjado, como laranja, mamão, pêssego, abacate, cenoura, entre outros.

No organismo, sua absorção ocorre de forma semelhante à das gorduras, sendo que quando há anormalidades na absorção destas, há também uma redução da absorção do retinol. Quando a absorção ocorre normalmente, ela é praticamente integral.

Em casos de deficiência desta vitamina (hipovitaminose A), podem ocorrer diversas alterações no organismo do indivíduo, como:

  • Xeroftalmia, sendo que este é um dos problemas oculares que ocorre devido à deficiência do retinol, sendo que a cegueira noturna, onde o indivíduo não consegue enxergar com maior precisão em locais pouco iluminados, é uma das mais frequentes;
  • Hemeralopia, que é visão noturna deficiente, que é distinta da cegueira noturna, pois causa ressecamento ocular, aumentando o atrito entre as pálpebras e os olhos, resultando em ulcerações no epitélio ocular;
  • Sensibilidade à luz (fotofobia);
  • Redução do olfato e do paladar;
  • Ressecamento e infecção na pele e mucosas, denominada xerodermia;
  • Estresse;
  • Espessamento da córnea,
  • Lesões cutâneas;
  • Neoplasia ocular;
  • Sistema imunitário deficiente, podendo levar à frequentes infecções.

Esta deficiência ocorre em certas situações, como:

  • Falta de amamentação ou desmame precoce;
  • Consumo insuficiente de alimentos ricos nesta vitamina;
  • Baixo consumo de alimentos que contêm gordura, pois esta permite a absorção das vitaminas lipossolúveis, como é o caso da vitamina A;
  • Infecções frequentes, pois estas reduzem o apetite do indivíduo, levando-o a ingerir menor quantidade de alimento, podendo surgir uma deficiência desta vitamina.

Já  na situação inversa, quando o consumo do retinol é exagerado, ocorre uma intoxicação por esta vitamina, denominada de hipervitaminose A, surgindo sintomas como:

  • Pele seca, áspera e descamativa;
  • Fissuras labiais;
  • Ceratose folicular;
  • Dores nos ossos e articulações;
  • Cefaléia;
  • Tonturas;
  • Náuseas;
  • Câimbras;
  • Queda dos fios de cabelo;
  • Lesões no fígado;
  • Redução do crescimento do indivíduo;
  • Falta de apetite;
  • Edema;
  • Cansaço;
  • Irritabilidade;
  • Epistaxe
  • Explenmegalia e hepatomegalia;
  • Alterações nas enzimas hepáticas.

Fontes:
http://www.vitaminas.bayer.pt/scripts/pages/pt/vitaminas/vitamina_a/index.php
http://emedix.uol.com.br/vit/vit002_1f_vitaminaa.php
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vitamina_A
http://vitaminas.netsaber.com.br/index.php?c=45
http://www.vivo.colostate.edu/hbooks/pathphys/misc_topics/vitamina.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.