Propriocepção

Por Débora Carvalho Meldau
A propriocepção (ou cinestesia), termo empregado por Sherrington por volta de 1900, é definida como sendo qualquer informação postural, posicional, encaminhada ao sistema nervoso central pelos receptores encontrados em músculos, tendões, ligamentos, articulações ou pele. Em outras palavras, é a consciência dos movimentos produzidos pelos nossos membros.

Para falar sobre propriocepção, é necessário falar sobre os receptores sensoriais, afinal, são eles que transmitem ao SNC a posição articular e o nível de tensão muscular.

Os receptores sensoriais são encontrados dentro do sistema nervoso somático, responsáveis pelas distintas experiências sensoriais recebidas e interpretadas pelo nosso corpo. A função mais básica dos receptores sensoriais é fornecer ao sistema nervoso central (SNC) informações sobre as condições internas das estruturas orgânicas e do meio externo. São eles que definem os ditos sentidos (visão, olfato, tato, paladar, audição e sensibilidade corporal). Todavia, apenas um receptor não possui a capacidade de identificar sozinho todos os estímulos diferentes que o corpo recebe a cada segundo. Deste modo, somos supridos com diferentes receptores sensoriais, cada um com sua particularidade, possibilitando a sensação de diferentes estímulos.

Os receptores podem ser classificados de acordo com a sua função:

  • Mecanoceptores;
  • Termoceptores;
  • Fotoceptores;
  • Quimioceptores;
  • Nociceptores.

Além dessa classificação funcional, podemos dividi-los de acordo com a sua localização anatômica:

  • Exteroceptores;
  • Interoceptores;
  • Proprioceptores.

Os proprioceptores são receptores encontrados mais internamente na musculatura, aponeuroses, tendões, ligamentos, articulações e no labirinto, apresentando função reflexa locomotora e postural. Podem produzir impulsos conscientes ou inconscientes. Os primeiros alcançam o córtex cerebral possibilitando, mesmo que de olhos fechados, que se tenha percepção do próprio corpo e movimentos articulares, sendo este, então, responsável pelo sentido de posição e movimento (cinestesia). Os impulsos nervosos proprioceptivos inconscientes não levam a nenhuma sensação, sendo utilizados pelo SNC como regulador da atividade do músculo, por meio do reflexo miotático ou dos diferentes centros relacionados com a atividade motora, como, por exemplo, o cerebelo.

De acordo com a teoria das múltiplas inteligências, a Inteligência corporal-cinestésica diz respeito às habilidades apresentadas por atletas e artistas, principalmente dançarinos, que executam movimentos precisos que são exigidos para a execução de suas técnicas.

Encontra-se dividida em quatro funções distintas e separadas, que são:

  • Sensação de movimento passivo: esta é considerada o resultado de sensações induzidas por forças externas que levam à alteração da posição do membro sem que haja contração muscular.
  • Cinestesia: é definida como a sensação do movimento ativo, passando por alterações do movimento ou posicionamento do membro com o músculo em contração.
  • Estagnosia: é a percepção da posição de um membro no espaço.
  • Dinamaestesia: é a presença de tensão e percepção da força aplicada no momento de realização de uma contração voluntária.

Sempre que ocorre alguma alteração no sistema proprioceptivo, o organismo apresenta sintomatologia variada. São eles:

  • Dor: pode surgir como cefaléia, enxaqueca, dor muscular, na planta dos pés, pescoço e ou costas.
  • Desequilíbrio: pode aparecer na forma de vertigem, tonturas, enjôo, sensação de náuseas, quedas sem explicação, choques contra objetos sem justificativa.
  • Queda do rendimento escolar: o indivíduo progride no âmbito escolar abaixo de sua capacidade de inteligência e do esforço desenvolvido. Pode-se observar sintomas de dislexia, discalculia, disgrafia, dislalia, disortografia, déficit de atenção, entre outros.
  • Perturbações vasculares: a mais freqüente é a palidez da pele, normalizando-se após o tratamento proprioceptivo.
  • Erros de localização espacial: o indivíduo apresenta dificuldade na percepção de cada segmento do seu corpo em relação aos outros segmentos, e também, a relação entre corpo e espaço.

O tratamento dessas alterações proprioceptivas deve ser multidisciplinar, abrangendo fisioterapeutas, ortopedistas, oftalmologistas, dentistas, psicólogos e fonoaudiólogos.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cinestesia
http://fisioterapiahumberto.blogspot.com/2009/07/propriocepcao.html
http://pepsic.bvsalud.org/pdf/bapp/v28n2/v28n2a15.pdf