Exílio

A palavra exílio adquiriu diferentes conotações ao longo do tempo, tendo sido muito utilizada tanto na história quanto na literatura. Originalmente significa banimento, e vem do latim exilium (desterro, degredo), ou seja, é a condição de estar longe da própria casa, cidade, nação, etc. Pode também ser considerado a expatriação de uma pessoa, seja ela voluntária ou não.

Alguns utilizam o termo neste sentido, de expatriado, desterrado, outros no sentido de refugiado.

Vejamos os demais sentidos que a palavra adquiriu ao longo do tempo:

1. Exílio Romano

Na roma antiga, a pena do exílio era considerada pior do que a pena de morte. Para eles, estar exilado era como ser considerado um animal, pois neste caso eles não podiam usar água ou fogo para preparar os alimentos, nem entrar em uma casa se esta não fosse feita por suas próprias mãos, e também lhes era proibida a convivência entre os outros seres humanos.

2. Auto-exílio ou Exílio Voluntário

Este provavelmente é o caso em que o exílio é considerado um refúgio. Em casos específicos de perseguição, ameaças, etc, alguns indivíduos procuram exílio por vontade própria, provavelmente em outros países, antes que algum fato legal ou jurídico impeça a sua saída do país de origem.

Há casos bem conhecidos na história. No Brasil, alguns artistas o fizeram durante a ditadura militar, na Argentina a ex-presidente Isabelita Perón, que se exilou na Espanha após o golpe que a retirou do poder.

3. Exílio ou Cativeiro Babilónico

O Cativeiro Babilônico, também chamado de Exílio ou Cativeiro na Babilônia, foi a deportação em massa e exílio do povo judeu de Judá para a Babilônia. A primeira deportação ocorreu em 598 a.C., quando Jerusalém foi sitiada, o Rei de Judá se rendeu, e o Templo foi saqueado. Nesta ocasião, o Rei juntamente com os militares e grande parte da nobreza foram levados para o Exílio na Babilônia. A segunda deportação acoteceu onze anos depois, por ocasião de uma revolta no Reino de Judá e a destruição de Jerusalém e do Templo. O término do Cativeiro na Babilônia se deu quando Ciro II assumiu o reinado, em 538 a.C., autorizando os judeus exilados a regressarem àterra de Judá, e até mesmo a Jerusalém, para reconstruir o Templo.

4. Exílio galego

Durante a Guerra Civil Espanhola, os galegos se exilaram por motivos políticos. Nele se inserem, em sua maioria, as pessoas exiladas no início e no fim da guerra. Também ficou conhecido como “exílio galego de 1936”.

5. Exílio Político no Brasil

No Brasil, durante o regime militar, muitos brasileiros deixaram o país para se exilarem no exterior, especialmente os da classe média, os intelectuais, que foram afastados por se oporem ao novo regime, instalado em 1964. A grande maioria destes  exilados deixou o Brasil em razão de suas posições políticas e de suas críticas ao novo regime.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%ADlio
http://www.dicionarioinformal.com.br/ex%C3%ADlio/
http://laitman.com.br/2010/06/o-que-e-o-exilio/
http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/e/exilio.html
http://governo-militar.info/mos/view/Repress%C3%A3o/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cativeiro_Babilónico
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%ADlio_galego
http://educacao.uol.com.br/historia-brasil/exilio.jhtm

Arquivado em: Curiosidades