Ecótono

Por Fernando Rebouças
Um ecótono é a região de transição entre dois biomas, também conhecido como ecótones, apresenta grande variedade de diversidade reunindo espécies pertencentes a dois biomas diferentes e nichos ecológicos.

No Brasil, os principais ecótonos são o agreste (situado entre o sertão e a zona da mata no nordeste brasileiro), matas de cocais, e as regiões de transição nos biomas da Amazônia e Caatinga.

Também é conceituado como a transição entre duas ou mais comunidades que diferem entre si, uma comunidade de ecótono pode abranger organismos de ambos os lados e organismo específicos, ou seja, espécies que vivem somente na região do ecótono.

Em diversos estudos também conceitua-se como uma zona de transição de dois biomas possuidora de relevantes processos vitais e que vincula várias espécies dos dois biomas envolvidos na região; ou ainda, uma zona de contato entre duas formações distintas em tipo de vegetação, podendo ser de transição gradual, abrupta ou com estrutura peculiar.

Segundo a Resolução nº12 do Conama, publicada em 4 de maio de 1994, o ecótono é “uma zona de contato ou transição entre duas formações vegetais com características distintas”.

Recentemente, o IBAMA realizou um estudo que definiu 78 ecorregiões do Brasil, baseado em imagens de satélite que exploraram todos os biomas do país. Além das ecorregiões, na qual a Amazônia é detentora de 23, seguida pelo Cerrado com 22 , e a Mata Atlântica com 9, o estudo detectou as áreas de transição.

O estudo determinou os três principais ecótonos do Brasil, com áreas superiores de muitos países europeus. Destacam-se: o ecótono do Cerrado-Amazônia que representa 4,85 % do território brasileiro, o Caatinga-Amazônia, que corresponde a 1,7% e o Cerrado-Caatinga, com 1,3%.

Há grande riqueza biológica entre os biomas do Cerrado e da Amazônia, área conhecida como “corredor Ecótono Sul-Amazônico”. Nessa região incidem espécies endêmicas, entre elas os macacos Sagui. A região abrange o sul do Estado do Pará, sudeste do Amazonas, norte do Mato Grosso e trechos ao leste de Rondônia e oeste de Tocantins.

No “Corredor Ecótonos Sul-Amazônico” há o Projeto Kayapó, mantidos pela CI-Brasil, FUNAI, Associação Floresta Protegida e o Instituo Raoni. Nesse projeto é executado a vigilância territorial, alternativas para geração de renda de forma sustentável e o apoio à criação de novas UCs (Unidades de Conservação).

No local há cerca de 28 Unidades de Conservação, a mais conhecida situada no Parque Estadual do Guariba, além das reservas de Desenvolvimento Sustentável Bararati, a Extrativista do Guariba e a Floresta Estadual do Sucunduri.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecótono
http://www.redeambiente.org.br/dicionario.asp?letra=E&id_word=294
http://www.fatorgis.com.br/vernoticia.asp?cod=108
http://www.conservation.org.br/onde/amazonia/index.php?id=117