Economia de Goiás

Por Thais Pacievitch
A economia do estado de Goiás tem como principais atividades a agricultura, a pecuária e a indústria. O Produto Interno Bruto – PIB (R$ 65.210 milhões em 2007) do estado corresponde a 2,45 % da riqueza gerada em todo o país nesse período. O PIB per capita de Goiás foi de R$ 11.547,68 em 2007. (AMARAL; NASCIMENTO, 2010).

A produção agrícola de Goiás é das mais expressivas do país. O estado é o maior produtor sorgo do Brasil, além de estar entre os maiores produtores nacionais de milho, tomate e soja. Além disso, são produzidos no estado: arroz, feijão, algodão, trigo, cana-de-açúcar, alho, mandioca, cítricos e girassol.

O rebanho bovino do estado está entre os maiores do Brasil. A pecuária de corte é mais desenvolvida do que a pecuária leiteira. No entanto, a atividade é a principal responsável pelo desmatamento e destruição do cerrado, destruindo esse ecossistema e provocando erosões. As criações de suínos e de aves também são significativas no estado.

O setor industrial está em expansão. A variedade de indústrias no estado é grande, com destaque para as indústrias de transformação, alimentícias, têxteis, metalúrgicas, madeireira, mobiliaria, automobilísticas, de mineração e farmacêutica.   Em Goiás, especificamente no Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA), está situado o maior pólo farmoquímico da América Latina. O estado é um dos maiores produtores de medicamentos genéricos do Brasil. Produz ainda açúcar e álcool em quantidades significativas. Goiás é o único estado brasileiro que possui um porto seco.

O extrativismo, tanto mineral como vegetal contribuem com a economia do estado. Goiás possui reserva de vários minerais, sendo os de maior destaque, o calcário, o amianto, o fosfato e o níquel. Existem ainda jazidas de ardósia, cobre, rutilo, argila, manguanes, estanho, talco, dolomita e cromita. Ouro, pedras preciosas (esmeraldas), pedras semipreciosas e cristais-de-rocha também são encontradas. Os vegetais extraídos são: madeira (mogno), pequi, babaçu e casca de angico.

O turismo contribui de forma significativa com a econômia do estado. As estâncias hidrotermais nas cidades de Rio Quente e Caldas Novas atraem muitos turistas. O ecoturismo nas praias do Rio Araguaia e na Chapada dos Viadeiros é bastante procurado. Além disso, as cidades de Pirenópolis, Corumbá e na Cidade de Goiás, o turismo histórico atrai os turistas.

Referências
AMARAL, Luciano Monteiro do; NASCIMENTO, Milton Antonio do. Produto Interno Bruto Estadual e Municipal. Secretaria de Estado do Planejamento e Desenvolvimento de Roraima. 6 ª edição. Boa Vista: CGEES/SEPLAN – RR, 2010.

FRANCISCO, Wagner de Cerqueira e. A Economia de Goiás. Disponível em: http://www.brasilescola.com/brasil/a-economia-goias.htm Acesso em 17 jan. 2011.

GEOGRAFIA, ECONOMIA, HISTÓRIA DE GOIAS.  Disponível em: http://www.tipoalfa.com.br/ara/editorial/9/545/geografia-economia-historia-de-goias Acesso em 17 jan. 2011.

GOIÁS. Dados sobre o Estado de Goiás. Governo do Estado de Goiás. Disponível em: http://www.goias.gov.br/index.php?caderno=2 Acesso em 17 jan. 2011.