Oceano Atlântico

Por Caroline Faria
O segundo maior oceano do mundo, o Oceano Atlântico é o mais importante comercialmente devido ao fato de ser a menor distância entre as maiores potências do mundo, EUA e Europa.

Dividido ao meio pela dorsal meso-atlântica de 1.500 km de largura, o Oceano Atlântico se originou da divisão da Gondwana, mais precisamente dos continentes da África e da América do Sul.

Ao sul, a cadeia meso-oceânica do atlântico se divide em duas com a parte leste indo de encontro á cadeia meso-oceânica do índico e a oeste com a cadeia do pacífico formando uma bacia imensa com cerca de 106 milhões de km².

O Atlântico é limitado a oeste pelas Américas e a leste pela África e Europa, sendo constituído por diversos mares e golfos, a saber: Oceano Glacial Ártico, Mar Mediterrâneo, Golfo do México, Mar das Antilhas, Mar de Baffin, Mar do Norte, Mar Báltico, Mar da Mancha, Mar da Irlanda, Baía de Hudson, Mar Negro e mar da Noruega.

O Oceano Atlântico recebe os rios mais caudalosos do mundo, o Rio Amazonas, São Lourenço, Orinoco, Mississipi, Paraná, Congo, Níger e Loire e, devido às chamadas “áreas de afloramento” é também um dos locais mais ricos em biodiversidade.

De maneira geral, as águas do Oceano Atlântico se movem em duas correntes distintas provocadas pela ação dos ventos alísios e pela rotação da terra, sendo uma no Atlântico Norte e, outra no Atlântico Sul. As correntes do Norte movem-se em sentido horário e as do Sul em sentido anti-horário. Fazem parte da corrente do Norte, as correntes Norte-Equatoriais, as correntes das Canárias e a Corrente do Golfo; e, do Sul, a corrente do Brasil, a de Benguela e a Corrente Sul-Equatorial.

O Atlântico possui elevada importância histórica, uma vez que sua navegação foi, durante muito tempo, um ponto vital da história da civilização.

Durante muito tempo os homens se recusaram a navegar o “Mar Oceano”, como chamavam o Oceano Atlântico com medo de se verem tragados por algum abismo. Mas, em 1492, coube à Cristóvão Colombo acabar com todos os temores ao aportar na ilha de Guanahaní, que ele rebatiza de São Salvador, nas atuais Bahamas. Este feito abriu as porta do Atlântico que, desde, então, foi palco da maior colonização de todos os tempos.

Fontes:
http://netopedia.tripod.com
http://educaterra.terra.com.br