Zona de Subducção

Zona de subducção é o nome que se dá a uma área de convergência de placas tectônicas, onde uma destas se infiltra debaixo da outra, de acordo com a teoria da tectônica de placas (teoria da geologia que descreve os movimentos de grande escala ocorridos na litosfera terrestre). Em geral é a litosfera oceânica, de maior peso, a que se subduz sob a litosfera continental, de menor peso específico devido à sua maior espessura interna. Exemplo bem conhecido e estudado é o da subdução da Placa de Nazca sob a Cordilheira dos Andes.

O lento movimento da placa oceânica em direção às camadas mais profundas do planeta Terra provoca um lento aumento das temperaturas nas rochas do antigo fundo do mar, superando os 1000 graus Celsius, e a uma profundidade de aproximadamente 100km, as rochas da placa oceânica fundem-se parcialmente. Durante a subdução se observa ainda um aumento rápido da pressão. Em uma zona de subducção, a crosta terrestre, então derretida sobe novamente até a superfície, onde ajudará a formar vulcões e ilhas. A formação de alguns vulcões, montanhas, ilhas e fossas oceânicas estão ligadas ao processo de subducção, deriva continental e orogênese.

A subducção ocorre principalmente na costa oeste da América do Sul (Chile, Equador, Colômbia, Peru), Japão, ilhas Aleutas, Java e regiões do Mar Mediterrâneo. Tal fenômeno acaba por causar tremores sísmicos de alta magnitude. A litosfera derretida também libera gases da atmosfera que ficaram armazenados no solo, e por isso a subducção da litosfera também contribui para a reciclagem da atmosfera.

A zona de subducção é uma zona larga e estreita onde uma placa litosférica penetra por debaixo de outra.
Dado que a pressão e a temperatura aumenta com a profundidade, uma parte dos materiais da placa em subducção são liberados (em especial a água), o que acarreta a fusão do manto, que por sua vez ascende acima da crosta terrestre continental dando origem a vulcões. As zonas de subducção constituem uma parte muito importante dentro da dinâmica dos materiais terrestres.

Os materiais subduzidos mudaram sobremaneira as propriedades do manto, e permitiram que a convecção mantenha-se. Sismologicamente as zonas de subducção são caracterizadas pelas zonas de Benioff, que, em geologia são definidas como zonas sísmicas ao largo da placa que se estende junto a um dos lados de uma determinada fossa oceânica. Esta é chamada também zona de Benioff-Wadati, em homenagem a Hugo Benioff e Kiyoo Wadati, dois geólogos que independentemente observaram sua existência.

Bibliografia:
http://domingos.home.sapo.pt/tect_placas_7.html - Página "Terra Planeta Vivo" - Tectônica de Placas,
abordando o assunto das zonas de subducção
http://terraquegira.blogspot.com/2008/07/subduco-parte-i-zonas-de-subduco-e.html - Blog "Terra que Gira"
Zonas de Subducção e Tectônica de Placas
http://w3.ualg.pt/~jdias/INTROCEAN/B/22_FrontConverg.html - Página da universidade do Algarve - Faculdade
de Ciências do Mar e do Meio Ambiente - Fronteiras de Placas

Arquivado em: Geologia