Descobrimentos e Navegações Holandesas

Por Felipe Araújo
O período de maiores conquistas para a Holanda foi considerado o Século de Ouro Holandês. Durante estes anos, a República das Sete Províncias Unidas dos Países Baixos cresceu economicamente estendendo seus territórios e comércio por diversos locais. Ao mesmo tempo em que colonizaram Java, chegavam ao Nordeste do Brasil, denominado na época como Brasil neerlandês.

Um nome importante para as navegações holandesas foi o de Willem Janszoon, considerado o primeiro europeu a avistar as terras australianas. Na verdade, ele tinha partido da Holanda, pela terceira vez, para encontrar as especiarias da Índia. Janszoon fazia parte da frota de 12 navios de Steven van der Hagen e, ao chegar à Índia, foi incumbido da missão de encontrar novas rotas comerciais na chamada "grande terra da Nova Guiné e outras Terras ao Sul”.

Em 1605, Duyfken, nome de capitão de Willem Janszoon, rumou de Bantam à costa oeste da Nova Guiné. Então, cruzou o extremo oriente do Mar de Arafura. Um ano depois, desembarcou no Rio Pennefather (oeste do Cabo York), em Queensland, próximo à atual cidade de Weipa. Considerados os primeiros europeus a pisarem em continente australiano, Janszoon mapeou 320 km da costa da Austrália. No ano de 1615, Jacob Le Maire e Willem Schouten navegaram contornando o Cabo Horn para provar que a Tierra del Fuego não era uma ilha tão grande.

Viagens de Abel Tasman

No período de 1642 e 1644, o explorador holandês e comerciante a serviço da Companhia Holandesa das Índias Orientais (VOC), Abel Tasman, executou viagem de circunavegação à chamada Nova Holanda. Com isso, provou que a Austrália não fazia parte do Sul do continente. Conhecido como o pioneiro a chegar à Terra de Van Diemen, onde atualmente fica a Tasmânia, e a avistar as ilhas de Fiji (1643), Tasman e seu navegador Visscher, juntamente ao comerciante Gilsemans fizeram mapas sólidos da Austrália, das ilhas do Pacífico e da Nova Zelândia.

Além destas descobertas, os holandeses também tiveram sua participação na colonização da América.

Nova Holanda

Após a fundação da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais em 1621, deu-se início a expedição de Olivier van Noort que, segundo alguns historiadores, planejou uma invasão pela baía de Guanabara quando esteve de passagem pela costa brasileira.

As embarcações de Van Noort partiram de Roterdã, nos Países Baixos, em 1598. A tentativa de desembarque na baía de Guanabara não obteve sucesso devido a ações indígenas e da artilharia da Fortaleza de Santa Cruz da Barra. Além destas tentativas, os holandeses sofreram outras retaliações na América. Tiveram baixas em um ataque indígena na Patagônia (no atual Chile) e das forças armadas da Espanha no Peru. Apesar disso, alguns historiadores atribuem a descoberta da Antártida a Van Noort.

Entre 1614 e 1618, o navegador Joris van Spielbergen realizou a segunda viagem de circunavegação da Holanda. Seus navios desembarcaram em Cabo Frio, São Vicente e Ilha Grande. Seis anos depois, as invasões holandesas no Brasil começaram. Elas se dividem entre os períodos da Invasão de Salvador (Bahia) e a Invasão de Olinda e Recife (Pernambuco).

A invasão de Olinda e Recife divide-se em três fases: Fase de resistência ao invasor (1630-1637), administração de Maurício de Nassau (1637-1644) e Insurreição Pernambucana (1644-1654).

A Insurreição Pernambucana foi, conhecida também por Guerra da Luz Divina, foi o movimento que expulsou os neerlandeses do Brasil.

Fontes:
http://www.janesoceania.com/australia_history/index.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Era_dos_Descobrimentos
http://urs.bira.nom.br/literatura/descobrimentos_maritimos.htm