Poluição do solo

A poluição do solo é entendida como qualquer alteração que descaracterize o solo de sua estrutura natural. Ocorre pela introdução de substâncias ou produtos poluentes em estado sólido, líquido e gasoso, podendo comprometer a saúde humana, animal e vegetal.

Poluição do solo. Foto: Ana Vasileva / Shutterstock.com

Poluição do solo. Foto: Ana Vasileva / Shutterstock.com

O uso de fertilizantes é um tipo de poluição de origem rural. É usado para atender à demanda de nutrientes das culturas, mas mesmo quando aplicado da melhor forma, a assimilação pelo vegetal nunca é total, resultando em um excedente que se incorpora ao solo, causando um desequilíbrio da composição natural do solo. Alguns metais pesados estão presentes nos fertilizantes, como chumbo e cádmio, aumentando a toxicidade do solo.

Os defensivos agrícolas (inseticidas, herbicidas, etc.) são utilizados para combater pragas que atuam em plantações. Essas substâncias são absorvidas pelo solo, contaminam as plantações e são inseridas nas cadeias alimentares presentes no local. Outra consequência é a redução da fertilidade do solo contaminado.

A poluição de origem urbana ocorre pela disposição de resíduos gerados pelas indústrias, residências, serviços e comércio. O lixo degradado resulta na produção de chorume, um líquido proveniente da decomposição da matéria orgânica. Quando o depósito de lixo é feito a céu aberto (lixões), o chorume se infiltra no solo carregando micro-organismos, metais pesados, nitratos, fosfatos, além de outras substâncias poluentes. O lençol freático também acaba sendo contaminado.

Os esgotos (resíduos líquidos) lançados em terrenos também são responsáveis pela poluição do solo. Os dejetos humanos ao serem depositados no solo, contaminam o mesmo com micro-organismos patogênicos, que são arrastados de alguma maneira para as águas e podem contaminar também os alimentos. Assim, os dejetos humanos contribuem para a transmissão de doenças, com destaque para as verminoses, que contaminam o homem através do contato com a terra contaminada.

Resíduos perigosos depositados no solo também constituem um sério problema de poluição. Esses resíduos apresentam riscos à saúde dos seres humanos e ao meio ambiente. Alguns exemplos de resíduos perigosos são os produtos químicos, produtos radioativos, materiais hospitalares, pilhas e baterias.

Desastres naturais (inundações, terremotos e vendavais) e atividades vulcânicas são algumas formas naturais de poluição do solo. A erosão do solo também pode ocorrer de forma natural pela ação de chuvas e ventos, que desagregam e carregam suas partículas. Porém, o desmatamento acelera muito os processos de erosão, podendo causar desmoronamento de terras.

A poluição do solo provoca sérios problemas ambientais, como a alteração das cadeias alimentares, desequilíbrio do ecossistema, perda da biodiversidade, contaminação dos lençóis freáticos, infertilidade do solo, perda da capacidade de drenagem natural e risco à saúde dos seres humanos. A reciclagem, reutilização dos bens de consumo, redução no uso de fertilizantes e defensivos agrícolas, reflorestamento e disposição correta de resíduos são algumas formas para controlar e reduzir a poluição do solo.

Referências:
http://www.portalquimicaemfoco.com.br/2013/08/tipos-de-poluicao-do-solo.html

Günther, W.M.R. Poluição do solo. In: Philippi Jr. Pelicioni, M.C.F. (ed.). Educação ambiental e sustentabilidade, Barueri: Manole, 2005. p. 195-215.

Leia também:

Arquivado em: Meio Ambiente