Tubarão-baleia

Por Marina Martinez
O tubarão-baleia é a maior das espécies de tubarões existentes no mundo e o maior peixe vivo conhecido. Pertencente a família Rhincodontidae, o tubarão-baleia possui cerca de 20 metros de comprimento e mais de 12.000 kg. São encontrados em oceanos quentes de clima tropical e se alimentam principalmente de plâncton, de onde sugam as suas presas antes de filtrá-las. Além de plâncton, o tubarão-baleia come regularmente cardumes de pequenos peixes e lulas.

Possuem como característica uma cabeça larga e achatada e a boca fica quase na ponta do focinho. Na parte interna da boca existe uma centena de fileiras de pequenos dentes em forma de gancho. Porém, com tantos dentes na boca, o tubarão-baleia geralmente não os utiliza para comer.

Ao contrário dos outros tubarões, que são predadores agressivos e violentos, os tubarões-baleia são dóceis criaturas. Locomovem-se com duas barbatanas dorsais e possuem uma cauda que tem a parte superior maior do que a inferior. A pele destes peixes pode ter até 10 cm de espessura e são encontradas várias manchas e listras de cor clara em seu dorso, que varia do azul-acinzentado ao marrom. Além destas, há milhares de pintas de cor creme espalhadas em seu corpo. O orifício respiratório destes animais, chamado de espiráculos, encontra-se justo atrás dos olhos. Quando nadam, atingem uma velocidade média de cerca de 5 quilômetros por hora, um resultado bem abaixo das outras espécies de tubarões.

Os tubarões-baleia são vivíparos, ou seja, são animais cujo embrião se desenvolve dentro do corpo da mãe, em uma placenta que lhe fornece nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. Muitos especialistas acreditavam que o gigantesco peixe fosse ovíparo. Porém, ao capturarem uma fêmea enorme e detectarem que esta, estava grávida de 300 filhotes de tubarão, descobriu-se, então, que o tubarão-baleia é vivíparo.

Estes tubarões atraem constantemente a visita de mergulhadores, que podem perfeitamente nadar ao redor deste gigantesco peixe sem problema algum. São vistos com frequência na costa ocidental da Austrália, Tailândia, no Mar Vermelho, na Reserva Marinha de Gladden Spit, em Belize e nas Ilhas Galápagos. Também são encontrados nas Filipinas, na baía de La Paz, Seychelles, em Porto Rico e outros lugares. Acredita-se que os tubarões-baleia aparecem regularmente nos mesmos locais e determinadas épocas do ano, para aproveitarem o florescimento regular de plâncton e certos acontecimentos, como a desova dos corais.

Os tubarões-baleia estão protegidos por lei em alguns países, porém são caçados constantemente em outros, principalmente em Taiwan e Filipinas. A abundância de carne que este peixe oferece, e a popularidade da sopa de barbatana de tubarão contribuem para uma pesca excessiva deste peixe. Infelizmente, mais de 100 tubarões são mortos anualmente somente em Taiwan, o que levanta sérias preocupações quanto ao futuro desta espécie. Por ser um peixe que cresce lentamente e que demora cerca de 30 anos para atingir a maturidade, corre o risco de ser capturado antes mesmo de se reproduzir.

Referências Bibliográficas:
http://ciencia.hsw.uol.com.br/tubarao-baleia1.htm
http://www.discoverybrasil.com/tubaroes/detalhe/baleia/index.shtml
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tubarão-baleia