Erros Gramaticais comuns na Língua Portuguesa - Parte I

Por Paula Perin dos Santos
Conceito de correção

Numa língua, existem vários modos de falar, determinados pela localização geográfica do falante, faixa etária, situação, nível de escolaridade, nível social dentre outros fatores. Dentre estes, existe um que se institui como língua-padrão, que corresponde ao modo de falar das pessoas de mais prestígio dentro do grupo social, quando usam a língua em situações formais.

A Gramática é fruto desta tentativa de sistematizar a língua padrão, estabelecendo normas daquilo que seria falar corretamente uma língua. Essas normas, instituídas pelo uso das pessoas de prestígio e explicitadas pela Gramática, estão sempre sujeitas a desvios em razão da heterogeneidade da fala, já que uma pessoa nunca fala do mesmo modo em todas as situações.

Conceituando correto e errado, neste contexto, temos:

* Correto: é todo uso lingüístico que segue as normas da língua-padrão;
* Errado: é todo uso lingüístico que não segue as normas impostas pela gramática.

Ainda que esses erros se situem nas mais diversas camadas da língua, em virtude de a Gramática Normativa não se basear nas situações de fala, é possível determinar alguns tipos que costumam ocorrer com mais freqüência, tomando sempre por base a língua escrita.

1. Erros de grafia: ocorrem nas mais diversas construções. Exemplo:

Comprei três quilos de mortandela. (mortadela)

Os partidos vivem a degladiar entre si. (digladiar)

O garoto foi pego roubando salchichas. Porisso, não deixe que tome conta do açougue. (salsichas / Por isso)

2. Erros de impropriedade vocabular: ocorrem quando se usa uma palavra em lugar de outra por falsa associação de sentido entre elas. Exemplo:

As lâmpadas florescentes são mais econômicas. (fluorescentes)

O criminoso foi pego em fragrante. (flagrante)

O negro tem sido muito descriminado neste país. (discriminado)

3. Erros de acentuação gráfica - ocorrem por dois motivos:
* Por desconhecimento das normas ortográficas vigentes. Exemplo:

Comprei na loja de conveniência vários ítens. (itens – sem acento)

* Por desconhecimento da posição correta da sílaba tônica. Exemplo:

As rúbricas dos documentos eram falsas. (rubrica – paroxítona)

4. Erros no emprego da crase – ocorrem por dois motivos:
* Omitindo-se o acento em situações em que ocorre a crase. Exemplo:

O Projeto Mesa Brasil está promovendo uma campanha de ajuda as crianças vítimas da seca. (ajuda a quem? Às vítimas da seca)

* Colocando o acento onde não ocorreu a crase. Exemplo:

Enviamos à V. Sª. o resultado das avaliações. (Vossa não admite artigo antes, portanto, o correto seria “a V. Sª.)

5. Erros de emprego dos pronomes: uso de um pronome com função de sujeito no lugar de um pronome com função de objeto e vice-versa.

Comprei este lindo relógio para mim usar no casamento. (para eu usar)

Comprei este lindo relógio para eu. (para mim)

6. Erros de emprego de verbos - ocorrem em três casos:
* Na conjugação verbal. Exemplo:

A polícia militar não interviu a tempo de evitar o assassinato. (verbo intervir – composto: inter / vir – passado de vir, ele veio. Então o passado de intervir é interveio)

* No tempo verbal. Exemplo:

Encontrei Alice no mesmo lugar que, anos antes, recebeu-me. (recebera)

* No modo verbal. Exemplo:

Não estou certa de que essa decisão satisfaz a todos. (satisfaça)

7. Erros de morfologia em substantivos e adjetivos – ocorrem em dois casos:
* No plural dos nomes compostos. Exemplo:

Os dois páras-choques dos carros foram atingindo na colisão. (pára – verbo parar – não vai para o plural. O correto seria “pára-choques”)

* No uso do gênero dos substantivos. Exemplo:

Mandei Larissa comprar uma guaraná na bodega. (um guaraná – palavra masculina)

8. Erros de regência verbal. Exemplos:

As madeireiras estão visando o mercado externo. (visar, no sentido de ter em vista, pede preposição “a”. O correto seria “visando ao mercado”)

As crianças assistiam o desenho na televisão. (Assistir, no sentido de ver, presenciar, pede preposição “a”. O correto seria “assistiam ao desenho”)

9. Erros de concordância verbal e nominal. Exemplos:

Vamos esperar que V. Sª. manifeste vossa escolha. (o pronome de tratamento sempre concorda com a 3ª pessoa dos pronomes. O correto seria sua escolha)

Poderá ainda acontecer mais incentivos como esses. (Mais incentivos poderão acontecer)

10. Erros de colocação pronominal. Exemplo:

Enviaremos até a próxima semana os pedidos que encomendaram-nos. (nos encomendaram)

Continue lendo:

  1. Erros Gramaticais comuns na Língua Portuguesa - Parte II
  2. Erros Gramaticais comuns na Língua Portuguesa - Parte III

Fontes
SAVIOLI, Francisco Platão. Gramática em 44 lições. 15 ed. São Paulo, Ática, 1989, p.422-4.