Semântica

Por Cristiana Gomes
A semântica estuda o significado das palavras.

Conhecer o significado das palavras é importante, pois só assim o falante ou escritor será capaz de selecionar a palavra certa para construir a sua mensagem.

Por esta razão, é importante conhecer fatos linguísticos como: sinônimos, antônimos, homônimos, parônimos, polissemia, denotação, conotação, figuras e vícios de linguagem.

SINONÍMIA (sinônimos): palavras que possuem significados iguais ou semelhantes.

ANTONÍMIA (antônimos): palavras que possuem significados diferentes.

PALAVRAS HOMÔNIMAS: são iguais no som e/ou na escrita, mas possuem significados diferentes. Dividem-se em: homônimas perfeitas, homônimas homógrafas, homônimas homófonas.

- HOMÔNIMAS PERFEITAS
São palavras que possuem a mesma pronúncia, a mesma grafia, porém as classes gramaticais são diferentes. Exemplos:

- Caminho (substantivo) - Caminho (verbo caminhar)
- O caminho para a minha casa é muito movimentado.
- Eu caminho todos os dias.

- Cedo (Advérbio) - Cedo (verbo ceder)
- Eu cedo livros para a biblioteca.
- Levantou cedo para estudar.

- HOMÔNIMAS HOMÓGRAFAS
São palavras que possuem a mesma grafia, porém a pronúncia é diferente.

- Colher (substantivo) - Colher (verbo colher)
- Eu comprei uma colher de prata.
- Chamei minha vizinha para colher frutas na horta da fazenda.

- Começo (substantivo) - Começo (verbo)
- O começo do filme foi muito legal.
- Eu começo a entender este livro.

HOMÔNIMAS HOMÓFONAS
São palavras que possuem a mesma pronúncia , porém a grafia e o sentido são diferentes.

Serrar - Cerrar
serrar: cortar
cerrar: fechar

Cassar - Caçar
cassar: anular
caçar: procurar (alimento);

LISTA COM ALGUNS HOMÔNIMOS
Acender: pôr fogo
Ascender: subir

Coser: costurar
Cozer: cozinhar

Cheque: ordem de pagamento
Xeque: lance de jogo de xadrez

Espiar: observar, espionar
Expiar: sofrer castigo

Cessão: ato de ceder
Seção: divisão
Sessão: reunião

PALAVRAS PARÔNIMAS
São palavras parecidas na pronúncia e na grafia, mas com significados diferentes.

Discriminar - Descriminar
Discriminar: separar, listar
Descriminar: inocentar

Desapercebido - Despercebido
Desapercebido: desprovido, quem não está ciente, quem não tomou consciência (é derivado do verbo aperceber-se, que significa tomar ciência).

Despercebido: não percebido (é derivado do verbo perceber).

LISTA COM ALGUNS PARÔNIMOS

Absolver: perdoar
Absorver: sorver

Incidente: episódio
Acidente: desastre

Ratificar: confirmar
Retificar: corrigir

Destratar: tratar mal, insultar
Distratar: romper um trato, desfazer

POLISSEMIA
A mesma palavra apresenta significados diferentes que se explicam dentro de um contexto.

- O menino queimou a mão. (parte do corpo)
- Dei duas demãos de tinta na parede. (camadas)
- Ninguém deve abrir mão de seus direitos. (deixar de lado, desistir)
- A decisão está em suas mãos. (responsabilidade, dependência)

POLISSEMIA E HOMÔNIMOS PERFEITOS

Polissemia: é resultante dos diferentes significados que uma palavra foi adquirindo através dos tempos.

Homônimos perfeitos: grafia e som iguais, porém as classes gramaticais são diferentes.

DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO

As palavras podem ser usadas com o seu significado original, real (denotação) ou com um significado novo, diferente do original (conotação).

- O gato da minha vizinha sempre brinca comigo. (denotação – animal de estimação)

- Eu acho aquele ator o maior gato. (conotação - bonito)

Quando usamos a linguagem em seu sentido figurado, estamos fazendo uso das diversas figuras de linguagem que existem (metáfora, metonímia, prosopopéia, hipérbole, etc).

Certas vezes, o falante desconhece algumas normas gramaticais e comete alguns erros, em outras ocasiões, ele simplesmente é descuidado e acaba (ao falar ou escrever) unindo sílabas que formam um som desagradável ou obsceno.

Todos estes desvios são chamados vícios de linguagem.

Os principais são: barbarismo, solecismo, cacofonia, ambiguidade e redundância.

BARBARISMO: são desvios na grafia, na pronúncia ou na flexão.

- Pograma (em vez de programa)
- brica (em vez de tonificar o – bri -, rubrica)
- Etmologia (em vez de etimologia, com – i -)
- Quando eu pôr o vestido. (o certo seria - Quando eu puser o vestido)
O policial interviu. (O certo seria interveio)

Observação: quem abusa das palavras estrangeiras grafando-as como na língua original, também comete barbarismo.

Abajur: e não “abat-jur”.
Coquetel: e não “cocktail”.

SOLECISMO: Desvio na sintaxe.

Exemplo: “Houveram eleições para representante de turma.”

O certo é “Houve....” (erro de concordância)

- Assisti esse filme no cinema.

O certo é “Assisti a esse.....” (erro de regência)

CACOFONIA: Som desagradável ou obsceno.

- Hilca ganhou um prêmio.
- A boca dela está sangrando.

AMBIGUIDADE: Duplo sentido.

- O cachorro do seu irmão avançou na minha amiga. (cachorro pode ser o animal (cão), ou uma qualidade (vagabundo, assanhado) para irmão

REDUNDÂNCIA : é a repetição de idéias.

- Maria subiu lá em cima para ver o balão.
- José inventou novos brinquedos para o filho.

OBS: Não há redundância em “intrometer-se no meio” e “voltar-se para trás”.

Uma pessoa pode intrometer-se no início, meio ou fim de uma conversa, assim como alguém pode voltar-se para o lado.